"Se for necessário", verão vai ser passado sem discotecas nem bares

Atividades destes estabelecimentos são, "por natureza" dependentes da proximidade e, por isso, ocupar o "último lugar" das atividades a retomar.

O primeiro-ministro António Costa adiantou esta segunda-feira, em entrevista à TSF, que o verão deste ano pode ser passado sem que as discotecas e bares estejam em atividade

A reabertura deste tipo de estabelecimentos "ainda não está" no calendário do Governo e a retoma das atividades económica deve ser feita de forma "gradual e a começar pelos setores e atividades onde é mais fácil regular e estabelecer normas de afastamento".

O primeiro-ministro lembra, no entanto, que as atividades destes estabelecimentos "pela sua própria natureza vivem, não do afastamento, mas da proximidade e da interação".

Por isso, "é evidente que estarão no último lugar daquelas [atividades] que poderão abrir". Certo é que, "se for necessário", o verão será mesmo passado sem bares nem discotecas. "Se não for [necessário], melhor. Se for, terá de ser."

Sobre a reabertura dos ginásios, o primeiro-ministro sublinhou que estão a decorrer conversações com a associação para se encontrarem "normas que possam ser garantidas", que evitem o excesso de pessoas nos espaços e para que as normas de higienização sejam cumpridas.

Veja a entrevista de António Costa, na íntegra:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de