"Temos de eliminar o desperdício e otimizar a despesa pública"

Para Rui Rio, o foco do país para fazer face ao défice estrutural deve ser a despesa pública.

O líder do PSD defende que, tendo em conta "o nível de impostos que temos em Portugal", não é possível corrigir o défice estrutural se o país se concentrar apenas em gerar receita. Rui Rio reagiu, à margem do Congresso do Partido Popular Europeu, em Zagreb, às recomendações de Bruxelas sobre os riscos de incumprimento nos planos orçamentais de Portugal e de mais sete países.

Para o presidente dos sociais-democratas, o foco do país deve ser a despesa pública.

"Como nós sabemos que a despesa em Portugal, apesar de muito grande, ainda está aquém do que é necessário - basta olhar para os serviços públicos - aquilo que é o nosso caminho tem de ser, por um lado, produção de mais riqueza, porque essa vai permitir mais impostos sem aumento da carga fiscal e, por outro lado, a disciplina da despesa e a otimização dos recursos disponíveis.

"Nós temos de olhar para a despesa pública e temos de eliminar o desperdício e otimizar a despesa pública", rematou.

A Comissão Europeia reiterou, esta quarta-feira, que o projeto de plano orçamental português para 2020 coloca um risco de incumprimento do Pacto de Estabilidade e Crescimento, frisando que o Governo deve apresentar "o mais brevemente possível" um documento atualizado. O executivo comunitário considera que o projeto de plano orçamental de Portugal para o próximo ano apresenta um "risco de desvio significativo da trajetória de ajustamento rumo ao objetivo orçamental de médio prazo" e "cumprimento do valor de referência de redução da dívida".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados