Tirar sem-abrigo da rua até 2023 é "difícil, mas não impossível"

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu esta segunda-feira a ministra da Solidariedade e Segurança Social e os representantes das associações que apoiam os sem-abrigo.

O presidente da República reconhece que é "difícil, mas não impossível" atingir a meta de tirar da rua as pessoas em situação de sem-abrigo até 2023, ou seja, até o fim da legislatura.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, esta segunda-feira, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, e os representantes das associações que apoiam os sem-abrigo. No final do encontro, o chefe de Estado fez questão de sublinhar que a meta que estabeleceu no início do mandato ainda pode ser concretizada.

"Vamos fazer tudo para que, quem quiser, possa ter condições para sair da situação de sem-abrigo. É esse o compromisso social, traduzido num empenhamento ao longo dos próximos quatro anos. Há áreas muito sensíveis e prioritárias, em que é preciso ir encontrando soluções cada vez melhores."

Para Marcelo Rebelo de Sousa, há três áreas significativas: "A primeira é a habitação, a segunda é a saúde e a terceira é a reinserção social e profissional."

O Presidente da República reconhece que este ano foi mais difícil avançar no plano, por ser um ano de transição entre dois biénios de apoio às pessoas sem tecto, mas traçou desde já um objectivo claro para o próximo ano, de 2020.

"É tomar aquilo que existe de meios e recursos disponíveis, com os de outras instituições, e atingir metas que permitam avançar para a meta de 2023. Estamos quase no final de novembro e o tema da reunião de hoje foi 2020", explicou.

"Surgiram aqui ideais, propósitos, modificações e aperfeiçoamentos que poderão ser muito importantes para uma meta que é, no fundo, desejada por todos os portugueses", acredita o Presidente da República. "Esta não é uma bandeira do PR, é a de Portugal, do Parlamento, do Governo, dos municípios, da sociedade civil... É de todos."

No dia 5 de dezembro, será analisada a situação dos sem-abrigo na cidade do Porto, num encontro que será acompanhado por Marcelo Rebelo de Sousa.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados