"Trambolhão" do PIB mostra diferença "entre país de Costa e um país que encosta"

CDS diz-se preocupado com a "derrapagem económica" que o país enfrentará "a partir de setembro".

O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, considera que a queda de 16,5% do PIB no 2.º trimestre de 2020 em relação ao período homólogo, a maior queda de sempre no país, mostra uma diferença entre "o país de António Costa e o país que encosta".

A queda portuguesa foi a quarta maior da zona euro, algo que Francisco Rodrigues dos Santos classifica como um "trambolhão do PIB português".

"Infelizmente demonstra que, por um lado, há uma discrepância entre o país de Costa e um país que encosta", ironizou o líder do CDS-PP.

Com "as previsões de todos os organismos nacionais e internacionais a serem piores do que as estimativas apresentadas pelo Governo", Francisco Rodrigues dos Santos revela que o CDS está "muito pessimista quanto à derrapagem económica que o país terá pela frente, nomeadamente a partir de setembro".

Dos Estados-membros para os quais existem dados disponíveis para o segundo trimestre de 2020, Espanha (-22,1%) foi o país europeu com maior declínio na variação homóloga, seguindo-se França (-19%) e Itália (-17,3%).

De acordo com estes dados do gabinete de estatísticas comunitário, Portugal teve, neste período, a quarta queda mais acentuada, ao afundar 16,5%, como divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística.

Por seu lado, na variação em cadeia, o PIB português caiu 14,1%.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de