"Última oportunidade". CDS quer explicações urgentes do MAI

CDS considera "ofensivas" as declarações do Ministro da Administração Interna na entrevista TSF/DN desta semana e quer ouvi-lo com a maior brevidade possível no parlamento. Telmo Correia diz que esta é a "última oportunidade" para Eduardo Cabrita.

É a "última oportunidade". Aviso deixado nos passos perdidos da Assembleia da República pelo deputado centrista Telmo Correia acerca das declarações de Eduardo Cabrita na entrevista TSF/DN sobre a compra de equipamentos por parte das forças de segurança.

O CDS entende que as declarações do ministro da Administração Interna "são obviamente inaceitáveis, até porque são falsas". "Mais do que falsas e inaceitáveis, são do nosso ponto de vista uma irresponsabilidade. É irresponsável um ministro com esta tutela vir dizer isto, porque este é um dos casos em que o ministro, além de ter a tutela, é de alguma forma o comandante, tem o mando e o comando das forças que garantem a nossa segurança no dia-a-dia", afirma Telmo Correia.

Sublinhando que as declarações são "uma ofensa para as mulheres e homens das forças de segurança", o deputado nota que a "perda de confiança" no ministro por parte das polícias fica implícita.

Os centristas querem, por isso, ouvir o governante no parlamento "imediatamente que seja possível e de forma urgente". Indo mais além, Telmo Correia sublinha que esta é a "última oportunidade" que Eduardo Cabrita tem pela frente: "Ou vem ao parlamento, esclarece estas declarações e em alguma medida se retrata delas, ou então é difícil que tenha condições para prosseguir o seu mandato enquanto ministro da Administração Interna porque está, de dia para dia, até pela falta de resposta, a perder essa confiança", conclui.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de