Um antigo governante e apenas um membro da atual direção. Lista de Carla Castro promete IL como "terceira força"

Carla Castro foi buscar liberais a vários pontos do país e promete abrir o partido à sociedade para debater novos temas.

Na disputa para o lugar de João Cotrim de Figueiredo, entre Carla Castro e Rui Rocha, os candidatos começam a revelar os nomes que serão o futuro da Iniciativa Liberal (IL). Da atual direção, apenas o gestor Paulo Carmona transita para a lista de Carla Castro, que conta ainda com um antigo governante.

Entre os nomes, salta à vista o do antigo secretário de Estado do Emprego, no Governo de Passos Coelho, Pedro Silva Martins, além de liberais com "um amplo percurso académico" e até um antigo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Orlando Monteiro da Silva.

Carla Castro já tinha prometido reduzir o número de membros na comissão executiva, dos atuais 25 para 15, contando ainda com cinco suplentes. Os candidatos são de vários pontos do país, e não apenas dos grandes centros de Lisboa e do Porto, para ajudar o partido a romper barreiras.

"A lista representa o partido que vai sair das redes sociais e vai para a rua e para sociedade, com propostas e com trabalho, com uma oferta realista para mudar o panorama político português", promete Carla Castro, em declarações aos jornalistas.

A candidata defende que o partido deve abrir-se à sociedade, "com outros voos políticos", já que a IL começou "nas ideias, mas tem de crescer nas ações".

O objetivo de Carla Castro é discutir novos temas, além da vertente fiscal, como a mobilidade social, a preocupação pelas alterações climáticas e a importância do interior do país.

"Existe muito eleitorado órfão de bandeiras políticas que são caras à IL e temos muita margem para crescer. Um partido com aspirações governativas não pode abandonar nenhum território", acrescentou.

Se Carla Castro for eleita presidente da comissão executiva dos liberais, no congresso de 21 e 22 de janeiro, a expectativa é que o partido "chegue a terceira força política nacional", além dos objetivos para as eleições mais próximas.

"Queremos eleger nas europeias e nas eleições regionais da Madeira, assim como aumentar a representação política nos Açores", assegurou.

Paulo Carmona é vogal da atual direção dos liberais, mas passará para vice-presidente caso Carla Castro vença as eleições. Filomena Francisco também ocupará o cargo de vice-presidente e João Cascão será secretário-geral.

As eleições para a sucessão de João Cotrim de Figueiredo vão decorrer a 21 e 22 de janeiro, na convenção eletiva do partido. Os membros liberais vão escolher o novo líder em Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de