União de freguesias: reportagem na maior "aberração" do país
Autárquicas 2021

União de freguesias: reportagem na maior "aberração" do país

Ao longo desta campanha eleitoral autárquica, a CDU tem acusado o Governo de não ter conseguido reverter o processo de união de freguesias, levado a cabo em 2013 pelo governo de PSD e CDS-PP. É raro o discurso de Jerónimo de Sousa que não garanta que esta continua a ser uma luta do Partido Comunista Português. Por isso mesmo, a caravana da CDU passou esta segunda-feira por Alcácer do Sal e por aquela que é, de acordo com o presidente da união de freguesias local, a maior "aberração" do país. O autarca garantiu ao jornalista Miguel Midões que é mais fácil ir a Lisboa do que percorrer a união de freguesias de ponta a ponta e que até o ministro da Administração Interna já garantiu que se tratava de uma "aberração".

É uma união de freguesias maior do que a ilha da Madeira, pois tem 900 quilómetros quadrados. Arlindo José Passos é o atual presidente e recandidato pela CDU e não poupou críticas ao Governo por nada ter feito até agora para reverter o que PSD e CDS-PP impuseram. "São precisos 200 km para percorrer toda a freguesia", garante, daí que seja mais fácil e mais curto ir até Lisboa.

Alcácer do Sal, por si só, já é o segundo maior concelho do país, logo depois de Odemira. "É mais fácil ir a Lisboa, ir e vir, do que dar a volta a toda a freguesia", desabafa o autarca, que garante que já levaram o assunto a debate na Assembleia da República e tem esperança no projeto de lei que pode vir a fazer marcha-atrás nesta medida. Tem esperança, mas ao mesmo tempo receio que possa não se vir a confirmar.

Se tudo continuar assim, como é que vai ser? "É impensável, por isso é que dizemos que foi uma aberração o que foi feito", afirma o atual presidente e ao que parece o próprio ministro da Administração Interna "reconheceu no congresso da ANAFRE que era uma aberração esta união de freguesias, mas ela continua a pé e não fizeram nada para alterar".

São 21 localidades numa só união de freguesias, que juntou Santa Maria do Castelo, Santiago e Santa Susana e concentra 70% da população do concelho. Arlindo José Passos afirma que este Governo segue assim as pegadas de PSD e CDS-PP. Ele que já era o presidente da freguesia de Santa Maria do Castelo, que sozinha era em 2013 a maior do país em área geográfica.

O autarca desabafa ainda que foram mantidos ao serviço das populações os restantes polos das antigas freguesias, pois caso não os tivessem mantido, haveria população, muita envelhecida, que faria mais de 30 km para cada lado só para tratar de um papel.

Arlindo José Passos espera, uma vez que foi o "instalador da maior aberração do país", ser eleito para que possa vir a ser o "desinstalador".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de