"Vamos apostar deliberadamente na tentativa de que os portugueses concedam maioria absoluta ao PSD"

Carlos Coelho realça que o PSD tem de "mostrar a sua qualidade e tornar evidentes os seus objetivos."

O eurodeputado e diretor de campanha de Luís Montenegro, Carlos Coelho, apontou este sábado a uma maioria absoluta do PSD nas próximas legislativas, "tal como concederam agora ao PS" os portugueses.

Em entrevista à TSF e ao JN no 40.º Congresso do PSD, Carlos Coelho realçou ser necessário que o PSD "mostre a sua qualidade e torne evidentes os seus objetivos", algo que Luís Montenegro já tinha assinalado no discurso com que iniciou a sua participação no encontro, na noite desta sexta-feira.

Questionado sobre como é que Luís Montenegro pretende evitar que o PS se perpetue no poder, Carlos Coelho deixou um objetivo claro: "Vamos apostar deliberadamente na tentativa de que os portugueses, tal como concederam agora ao PS, concedam uma maioria absoluta ao PSD."

Foi também nessa senda, explica, que o novo líder social-democrata anunciou que vai, a partir de setembro, passar uma semana em cada distrito do país, uma vez que, detalha o antigo diretor de campanha, Montenegro "acha fundamental que o líder do PSD esteja nas ruas junto dos portugueses".

Sobre as novas movimentações à direita e a maioria absoluta do PS - e os desafios que daí nascem para o PSD - o eurodeputado sublinhou a necessidade de se concretizarem "os objetivos fundamentais e de responder aos problemas concretos dos portugueses".

"O importante é que o PSD mostre a sua qualidade e torne evidentes os seus objetivos", sendo que a relação com os outros partidos "depende mais dos outros do que do próprio PSD".

"Vamos apostar deliberadamente na tentativa de que os portugueses, tal como concederam agora ao PS, concedam uma maioria absoluta ao PSD", revela.

Em relação à melhor forma de Luís Montenegro poder fazer oposição ao primeiro-ministro sem estar no Parlamento, Carlos Coelho realça que na sociedade moderna o líder do PSD pode escolher os palcos, que passam pela rua e pelas redes sociais.

Ainda assim, assinala, tal não se faz "apenas em 24 horas", uma vez que é preciso "identificar claramente o PSD como partido da oposição" para apresentar uma oposição responsável. Para já, o partido "não deve ter dúvidas" de que é da posição e de que, nela, "é o maior".

Aeroporto? Depende da primeira conversa

No que respeita ao novo aeroporto, "todos queremos evitar que, se amanhã o Governo for outro, faça tábua rasa" do que foi decidido, realça Carlos Coelho.

Assim, tanto Costa como Montenegro, "pessoas com capacidade de diálogo" que têm "noção do que será importante para o país", terão nas suas discussões o seio da decisão. Só que, para já, "vai tudo depender da primeira conversa entre os dois.

"Diz o povo que é a falar que as pessoas se entendem. Eles vão falar", remata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de