Ricardo Araújo Pereira defende que a polícia deve ser presa no caso dos salvamentos no Mediterrâneo

O caso de Miguel Duarte foi analisado à lupa na emissão do Governo Sombra desta semana.

O caso de Miguel Duarte foi analisado à lupa na emissão do Governo Sombra desta semana.

Pedro Mexia sentiu-se "ativista" face ao caso de Miguel Duarte, o jovem português de 25 anos que está acusado pelas autoridades italianas de auxílio à emigração ilegal por ter colaborado com a Organização Não Governamental (ONG) alemã Jugend Rettet, que salvava migrantes de morrerem afogados nas águas do Mediterrâneo.

Sendo o ativismo coisa que normalmente não o atrai, Pedro Mexia explica que neste caso abre uma exceção, e explica que a tarefa de tentar perceber se "salvar vidas é bom ou mau" não deveria levantar dúvidas e que, por isso, defende o apoio do Estado português ao caso: "Não é preciso ter nenhuma especial ideologia política, nem sequer uma opinião específica sobre como resolver o problema da imigração, para achar que salvar pessoas é um ato positivo e que o estado português se deve empenhar na defesa desde ativista",conclui.

João Miguel Tavares vê o caso como sendo de natureza política - e não judicial -, e explica que o barco da ONG com a qual Miguel Duarte colaborou se limitava a recolher pessoas que estavam na água, que eram de seguida entregues a um barco da polícia: "Tendo em conta que é esta a mecânica, é muito difícil compreender como pode haver sequer uma acusação de auxílio à imigração ilegal", explica o jornalista, defendendo que a acusação se limita a ser uma estratégia para afastar as ONG do Mediterrâneo.

Já Ricardo Araújo Pereira está em contracorrente dos restantes ministros, acha que salvar pessoas no Mediterrâneo é, efetivamente, prestar auxílio à imigração ilegal e faz um paralelismo com salvar pessoas que estejam a morrer de overdose. O humorista defende, em registo irónico, que tanto num caso como no outro, "o ideal é deixar morrer as pessoas, para não estimular as atividades ilícitas", e acrescenta que "não serve de desculpa a história de salvar a pessoa do afogamento e entregá-la no barco da polícia - é prender a polícia também, porque a polícia também esteve envolvida no tráfico", conclui.

A emissão completa do Governo Sombra, para verou ouvir, sempre em tsf.pt.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados