Saúde

BE pede ao Governo regularização dos contratos dos enfermeiros da Linha Saúde 24

O BE acusa a entidade que gere este serviço telefónico- a linha de cuidados de saúde- de estar a coagir os enfermeiros a aceitar pagamentos líquidos de 4,30 euros por hora.

O Bloco de Esquerda apresentou esta sexta-feira um projeto de resolução para que o Governo regularize a situação contratual dos enfermeiros da Linha Saúde 24, definindo este caso como "inaudito".

O projeto do Bloco surge poucos dias antes dos colaboradores da Linha Saúde 24 fazerem uma marcha em Lisboa pelo "fim das coações, reduções salariais, falsos recibos verdes e despedimentos" neste serviço.

Para o BE, "não é concebível que estes trabalhadores sejam sujeitos a este tipo de exploração vergonhosa", pelo que o ministério da Saúde "tem que assumir as suas responsabilidades" e integrar regularmente os trabalhadores.

No passado sábado, cerca de metade dos funcionários deste serviço não trabalhou, em protesto contra a proposta da administração da empresa concessionária (LCS) de redução do valor pago por hora.

A comissão informal de trabalhadores acusa a Autoridade para Condições de Trabalho de continuar "sem realizar uma inspeção urgente nos 'call centers' da Linha Saúde 24, num contexto de inequívoca ilegalidade".