maternidades

Entregue providência cautelar para impedir fecho da Alfredo da Costa

De acordo com a TVI, esta providência cautelar foi entregue por médicos, enfermeiros e utentes e tem como testemunhas Correia de Campos e José Manuel Silva.

Um grupo de profissionais da Maternidade Alfredo da Costa interpôs uma providência cautelar para impedir o encerramento deste estabelecimento de saúde de Lisboa.

Segundo a TVI, na base desta providência cautelar entregue no Tribunal Administrativo de Lisboa estão médicos, enfermeiros e utentes.

Como testemunhas desta providência cautelar estão o ex-ministro da Saúde, Correia de Campos, e o atual bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva.

No texto da providência cautelar, citado pela agência Lusa, diz que esta maternidade tem prestado serviços de elevada qualidade à população.

Os subscritores deste documento consideram que existe um fundado receio de que os procedimentos em curso por parte do Governo não assegurem o serviço público.

Esta providência cautelar destaca ainda a excecional qualidade da maternidade, o que é conseguido graças à competência técnica e dedicação dos profissionais de saúde, a experiência acumulada e a logística bem dirigida e organizada.

O documento chama ainda à atenção para o dinheiro gasto nos últimos dez anos na Maternidade Alfredo da Costa, que está equipada com equipamento topo de gama comprado à luz de critérios internacionais mais exigentes.

  COMENTÁRIOS