Saúde

Governo: Níveis de mortalidade associados à gripe estão a diminuir

O secretário de Estado da Saúde diz que a taxa de mortalidade deste ano foi idêntica à de 2008, por isso rejeita as críticas de que as pessoas estão a morrer porque o Governo fez cortes.

Depois de quatro semanas consecutivas em que os níveis de mortalidade estiveram acima do habitual para esta época do ano.

PUB

O secretário de Estado da Saúde, Fernando Leal da Costa, desdramatiza, dizendo que o que se viveu em Portugal não foi muito diferente do que se passou em outros países da Europa.

«Países como a Suécia, a Bélgica, a Finlândia, a Holanda, a França, tiveram também aumentos de mortalidade, que neste momento está a diminuir, nós estamos a passar o pico da gripe. Esta mortalidade fora do comum foi a mesma que se verificou em 2008», destacou.

«Portanto qualquer declaração mais insensata de que as pessoas estão a morrer mais em Portugal porque o Governo fez cortes, se isso fosse verdade também dever-se-ia aplicar a 2008», defendeu o secretário de Estado, acrescentando que nesse sentido «os responsáveis políticos têm que ter muito cuidado relativamente às afirmações que fazem para não criar alarme e demagogia, onde ela não deve ser criada».

Os recados do secretário de Estado para os responsáveis políticos que causam alarme. Ainda esta terça-feira, o líder do PCP, Jerónimo de Sousa, voltou a responsabilizar o primeiro-ministro pela eventual morte antecipada de muitos portugueses, em resultado dos vários aumentos no sector da Saúde.

Os números da gripe relativos à última semana serão apresentados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Saúde.