"A lógica é oferecer as doses necessárias." Graça Freitas lança hipótese de sexta vaga da Covid-19

A diretora-geral da Saúde considera que devem ser oferecidas as doses necessárias para proteger os mais vulneráveis.

A Direção-Geral da Saúde anunciou a quarta dose da vacina contra a Covid-19 que começará na segunda-feira e Graça Freitas já explicou a medida, garantindo que serão oferecidas as doses necessárias para que as pessoas mais vulneráveis estejam protegidas.

"Esse reforço seria dado agora ou mais tarde, perto da onda sazonal do inverno, conforme a evolução do vírus e da epidemiologia. Portanto, consideraram nos últimos dias, com o aumento de casos que se registaram, que que estava na altura de começar a proteção adicional dessa população mais vulnerável e recomendar a quarta dose e a que nós chamamos o segundo reforço", explica Graça Freitas em entrevista à RTP3.

Nesse sentido, "as pessoas devem apanhar este segundo reforço quando forem convidadas a fazê-lo e depois farão um novo reforço para a suposta e provável onda de inverno".

E esclarece: "Depois, entre quatro a seis meses, que é o intervalo ótimo para o fazer, fará uma nova dose. Aqui a lógica é oferecer às pessoas as doses necessárias para que vão ficando protegidas para cada uma das épocas que se aproximam. Estamos a falar da população vulnerável. Não estamos a falar de toda a população."

Relativamente à situação pandémica atual, Graça Freitas lança a hipótese de estarmos a viver uma nova vaga da doença.

"Nós não temos bem a certeza, porque acontece que esta quinta vaga subiu muito depressa e estava a descer de forma muito acentuada e depois a sua subida inverteu-se. Teve um pico, depois teve um patamar, depois teve uns picos mais pequeninos. Nós não sabemos se isto é apenas uma flutuação da quinta vaga ou se vai originar-se numa sexta vaga. Sabemos é que neste momento há um aumento do número de casos", afirma.

A Direção-Geral da Saúde anunciou esta quinta-feira que os maiores de 80 anos e os utentes de Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) vão receber a segunda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 já a partir da próxima semana.

Nos lares, a vacinação começa já na próxima segunda-feira, 16 de maio, ao passo que os maiores de 80 anos começarão a ser vacinados "durante a próxima semana, nos centros de vacinação ou nos centros de saúde", lê-se num comunicado enviada às redações pela DGS.

Os maiores de 80 anos serão convocados "por agendamento local, através de SMS ou chamada telefónica", à semelhança de fases anteriores da vacinação.

As autoridades de saúde anunciam também que os jovens entre os 12 e 15 anos com condições de imunossupressão também são elegíveis para uma dose adicional da vacina contra a Covid-19, ocorrendo a inoculação "de acordo com orientação e prescrição médica".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de