A polémica sobre a Superliga, a Covid-19 nas crianças e outros destaques TSF

UEFA já avisou que vai excluir da organização os clubes que integrem uma eventual Superliga europeia de futebol.

O rebuliço no mundo do futebol parece ter chegado para tomar conta dos próximos dias. Depois do anúncio da criação de uma Superliga de futebol por parte de alguns dos maiores e mais ricos clubes europeus, o Governo português e as autoridades europeias já vieram esclarecer que a iniciativa não conta com o seu apoio.

No mundo da Covid-19 há novidades para os mais pequenos. ​​​​Sintomas como cefaleia, vómitos e diarreia passaram a ser considerados sintomas de Covid-19 em crianças. Quem passou pela experiência não esconde o susto.

O dia foi também de apresentação do Plano Ferroviário Nacional. Coube ao ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, apresentar os objetivos para os caminhos de ferro portugueses mas, ao mesmo tempo, deixou um aviso ao transporte aéreo: "Quero que as viagens de avião com menos de 600 quilómetros desapareçam da Europa."

Esta segunda-feira é também de festa para o Partido Socialista. Na celebração do 48.º aniversário, o secretário-geral António Costa convidou para a festa os primeiros autarcas eleitos pelo partido e deixou, perante todos, a certeza de que "o PS é muito mais do que as lideranças circunstanciais".

Quem também celebrou esta segunda-feira, mas por outras razões, foram restaurantes, pastelarias, salas de espetáculos e escolas que, um pouco por todo o país, puderam regressar um pouco mais à normalidade. A TSF esteve, uma vez mais, presente numa emissão especial que acompanhou o primeiro dia de mais uma fase de desconfinamento.

Na política nacional, dois temas diferentes. Primeiro, o SIRESP: o PCP recomenda ao Governo que tome o controlo público do sistema e espera que o executivo revele, em breve, o que pretende fazer com o mesmo.

Já o Bloco de Esquerda traz à discussão o tema do enriquecimento injustificado. O partido vai pegar nas propostas da Associação Sindical dos Juízes e transformá-las num projeto de lei.

Do outro lado do Atlântico, nos Estados Unidos da América, foi dia de alegações finais no julgamento da morte de George Floyd. O procurador responsável não tem dúvidas: o agente Derek Chauvin não mostrou compaixão e provocou mesmo a morte do homem de 46 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de