A posta, o bacalhau, o menino Jesus da cartolinha e agora o café e o pastel de nata esperam pelos espanhóis

Fronteiras entre Portugal e Espanha reabrem esta terça-feira.

Em Miranda do Douro, a ansiedade era muita para que as fronteiras abrissem. É certo que há duas semanas, uma delas já tinha sido aberta por causa de trabalhadores e mercadorias, mas agora abrem todas e volta tudo ao "quase normal".

A cidade vive praticamente dos espanhóis e do movimento comercial que geram. O presidente da câmara de Miranda do Douro diz que estão apreensivos, expectantes, com cautelas mas confiantes de que os espanhóis passem a fronteira. " Existe ainda algum medo relativamente ao que passámos nestes últimos meses mas temos a expectativa de que vamos ter um aumento substancial dos espanhóis".

Artur Nunes acrescenta que os espanhóis "são de uma importância vital" para a singular cidade "principalmente no setor da distribuição alimentar, no comércio que é um pilar importante, desde sempre e depois no turismo, não só o turismo do barco (passeio fluvial no rio Douro desde Miranda até Espanha), que é o nosso projeto âncora e com o maior número de visitas mas também a própria cidade, muito tranquila e com muitos atrativos e para onde as pessoas gostam de vir passear, estar, comer".

E já não é só pela posta mirandesa ou pelo bacalhau, nem mesmo pela catedral ou paliteiros mas por outras particularidades bem mais portuguesas, salienta Artur Nunes. "Tomar café! É uma das novidades. Os espanhóis adoram o café português e vem muita gente a Miranda passear, tomar café e comer um pastel de nata. São modas que começaram este ano".

Modas que os de Miranda agradecem. O presidente só pede que venham mas que o façam com cautela e segurança.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de