A subida dos casos de Covid, ministro do Ambiente em isolamento e falta de visibilidade no acidente de Cabrita

Manuel Carmo Gomes reafirma as previsões da ministra da Saúde: dentro de 15 dias ou menos, o país pode registar quatro mil casos diários. E, com a variante Delta a acelerar, os efeitos da vacinação em massa podem demorar a quebrar a tendência crescente da epidemia.

Manuel Carmo Gomes, professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e um dos peritos ouvidos recorrentemente pelo Governo nas reuniões no Infarmed, reitera à TSF as estimativas que Marta Temido apresentou na noite de segunda-feira, para os próximos 15 dias. A ministra da Saúde previu que em duas semanas os casos diários ascenderão aos quatro mil, com 800 internados devido à Covid-19.

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, está em isolamento profilático, após ter tido um contacto de risco com uma pessoa infetada com Covid-19, anunciou fonte do ministério, confirmando também à TSF que o ministro já recebeu as duas doses da vacina.

Em relação ao acidente com o carro onde seguia o ministro Eduardo Cabrita, na A6, a 18 de junho, vitimando mortalmente um trabalhador que fazia a manutenção da via, a falta de visibilidade pode ter sido um fator fundamental. A explicação é avançada à TSF por João Dias, professor do Instituto Superior Técnico (IST) da Universidade de Lisboa, perito com duas décadas de experiência na avaliação de acidentes rodoviários.

A segunda-feira ficou marcada por várias queixas com os aumentos dos tempos de espera para receber a vacina em vários locais do país e ao final da tarde a Câmara Municipal de Oeiras culpou a task force pelas longas filas que se sentiram no centro de vacinação de Carnaxide. Contactada pela TSF, fonte oficial da task force recusa que tenha existido qualquer convocatória sem hora.

O número de casos de Covid-19 em Portugal continua a aumentar, mas o bastonário dos Médicos defendeu que há medidas alternativas ao confinamento que devem ser usadas para travar a pandemia como "regras mais restritas" para que as pessoas as cumpram, uma fiscalização efetiva e uma nova matriz de risco.

A família de Catarina Pedro, a bombeira de Carnaxide que foi atropelada na A5 quando neste fim de semana dava assistência a duas vítimas de um acidente, pode não receber indemnização do seguro de bombeiro porque não se encontrava de serviço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de