Acordo sobre as pescas da UE com o Reino Unido estará fechado até dia 31 de março

Apesar de as negociações decorrerem com "lentidão", o objetivo é as decisões sejam "ajustadas".

A presidência portuguesa do conselho da União Europeia apresenta esta quarta-feira um texto de compromisso dos ministros das pescas que permita fechar um acordo com o Reino Unido. O pivot da negociação é o ministro do Mar Ricardo Serrão Santos. Em entrevista à TSF, o ministro garantiu que o acordo fica fechado até ao dia 31 de março.

O governante sublinha, contudo, que "aquilo que for decidido este ano não deverá ficar escrito em pedra para as negociações que vão decorrer para os anos seguintes".

Apesar de as negociações decorrerem com "lentidão", o objetivo é as decisões sejam "ajustadas", sustenta Ricardo Serrão Santos.

No Reino Unido, o setor das pescas tem sido precisamente um dos mais atingido desde que terminou o período de transição, ou seja, desde que os britânicos saíram do mercado único e da união aduaneira, a 31 de Dezembro do ano passado. Os atrasos causados pela burocracia têm causado prejuízos a muitas empresas, sobretudo na Escócia, levando o primeiro-ministro Boris Johnson a prometer ajuda financeira.

Passaram dois meses desde o fim do período de transição e tudo parece estar calmo nos portos britânicos. Não há filas em Dover, nem camiões parados nos acessos ao porto nem ao Eurotúnel, mas não é por não se verem que os problemas não existem.

Muitos começam logo nos escritórios de empresas britânicas cujo negócio e sobrevivência dependia e depende das exportações para a UE. Os pescadores e mariscadores, em particular, os escoceses, têm sido os mais afetados e em janeiro, 20 camiões vieram até Londres para fazer um buzinão à porta do primeiro-ministro.

A burocracia pós-brexit custa às empresas entre 450 e 700 euros por carga e os controlos extra tornam difícil fazer chegar o produto ao continente antes de começar a apodrecer.

Boris Johnson reconhece que há dificuldades mas chama-lhes problemas de dentição.

"Há dificuldades, neste momento, causadas por problemas de dentição... pessoas que não preenchem os formulários corretos ou fazem alguma confusão. Não é culpa das pessoas. Claro que vamos compensar e ajudar...e estão a ser criados fundos para o fazer. Mas não tenham dúvidas de que há grandes oportunidades para os pescadores de todo o Reino Unido tirarem proveito da espetacular riqueza marítima do Reino Unido.", sustenta.

O governo já criou uma task force para ajudar as empresas de pesca a resolver estes problemas e criou um fundo de apoio de cerca de 27 milhões de euros. Verbas que irão apoiar empresas que tenham sido afetadas pelas dificuldades de exportação, e que poderão chegar 115 mil euros por firma.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de