Agência Portuguesa do Ambiente dá luz verde ao aeroporto do Montijo

APA anuncia decisão final sobre impacte ambiental da pista complementar. Ambientalistas vão recorrer da decisão em tribunal.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) emitiu a Declaração de Impacte Ambiental (DIA) sobre o aeroporto do Montijo e deu assim a luz verde, final, ao avanço da obra, confirmando a viabilidade ambiental do aeroporto.

"A APA emitiu Declaração de Impacte Ambiental (DIA) relativa ao aeroporto complementar do Montijo, confirmando a decisão Favorável Condicionada à adoção da Solução 2 do estudo prévio da Extensão Sul da Pista 01/19 e Solução Alternativa do estudo prévio da Ligação rodoviária à A12", lê-se numa nota publicada no site da Agência Portuguesa do Ambiente.

A decisão tomada esta segunda-feira confirma a decisão favorável condicionada à adoção de várias medidas anunciada há alguns meses e que foi entretanto respondida pela ANA, a empresa que gere os aeroportos portugueses e vai construir o novo aeroporto.

A nova decisão mantém as cerca de 160 medidas de minimização e compensação ambiental que a ANA terá de dar cumprimento. Ao todo, as medidas ambientais custarão cerca de 48 milhões de euros.

No comunicado, a APA acrescenta que as medidas - relacionadas com a avifauna, ruído, mobilidade e alterações climáticas - "permitem minimizar e compensar os impactes ambientais negativos do projeto, as quais serão detalhadas na fase de projeto de execução".

Zero vai lutar nos tribunais

A Zero lamenta esta decisão divulgada pela Agência Portuguesa do Ambiente e promete lutar contra a instalação do aeroporto do Montijo nos tribunais. A ambientalista Carla Graça acusa a APA de não ter preocupado com os valores ambientais e com a saúde das populações.

"A nossa primeira reação é de desilusão porque consideramos que não estão salvaguardados os valores ambientais e de saúde humana que seriam necessários salvaguardar. Aquilo que é proposto como medidas adicionais não permite mitigar o impacte real nos ecossistemas", disse à TSF Carla Graça.

Os ambientalistas defendem ainda que devia ter sido feito um processo de Avaliação Ambiental Estratégica, o que nunca avançou. Carla Graça garante que a Zero e outras associações ambientalistas vão recorrer desta decisão em tribunal.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de