Alerta vermelho no Norte e Centro do país. Risco de incêndio no nível máximo

O alerta entra em vigor às 00h00 de quarta-feira e prolonga-se até ao final de 9 de setembro.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil declarou que o Centro e o Norte do país estão, a partir desta quarta-feira, em alerta vermelho, devido ao risco de incêndio.

São 13 distritos no total que vão passar a estar nesta condição devido às temperaturas elevadas e consequente risco de fogos. Os 13 distritos abrangidos pelo alerta vermelho são Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Santarém, Coimbra, Guarda, Portalegre, Porto, Vila Real, Viana do Castelo, Viseu e Leiria.

Há, neste momento, um "país a duas cores": com cinco distritos a laranja e 13 a vermelho.

O alerta entra em vigor às 00h00 de quarta-feira e prolonga-se até ao final de 9 de setembro.

A decisão será anunciada oficialmente numa conferência de imprensa, na sede da Proteção Civil, ainda esta terça-feira. Em consequência, o Governo também deverá declarar a situação de alerta, o que impedirá as queimadas e alguns trabalhos agrícolas. A população será advertida através de mensagens de telemóvel.

Este é o nível de alerta mais elevado. Lisboa e outros distritos mais a sul estarão em alerta laranja, o segundo mais grave na escala da Proteção Civil.

O presidente da ANEPC, Mourato Nunes, realçou a importância de todos os portugueses estarem atentos ao risco de fogos florestais, lembrando que "só há incêndios se houver ignições".

"É preciso haver uma grande disciplina para evitar incêndios desnecessários", afirmou, garantindo que o dispositivo está montado para que haja uma intervenção rápida e eficaz, mas admitiu a ocorrência de imponderáveis e incêndios que se tornem incontroláveis.

O dispositivo previsto é composto por 11.492 operacionais no terreno, apoiados por 60 meios aéreos, estando ainda à disposição um helicóptero de reconhecimento.

Numa conferência de imprensa, Nuno Moreira, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), avisou que os próximos dias terão temperaturas muito elevadas, podendo atingir os 40 graus nas regiões sul e do Vale do Tejo e serem superiores a 30 graus no resto do território.

Preveem-se também noites muito quentes em Lisboa e Vale do Tejo, nunca descendo abaixo dos 20 graus e valores de humidade relativa bastante baixa, nomeadamente no litoral, o que não é habitual.

Espera-se ainda vento forte, sobretudo nas regiões montanhosas e no centro e norte do país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de