Autarquias fazem contas aos estragos da tempestade, "deixem o Ronaldo em paz" e outros destaques TSF

Todos os distritos de Portugal continental estão esta sexta-feira em aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes e trovoada.

PorTSF
© André Kosters/Lusa

A manhã informativa da TSF desta sexta-feira fica marcada pelas contas aos danos provocados pelo temporal em todo o país. Durante a noite, a Proteção Civil registou 100 ocorrências relacionadas com o mau tempo em Portugal continental, a maioria das quais na cidade de Lisboa.

Em Algés, a estação de comboios, um dos maiores interfaces às portas de Lisboa, continua encerrada devido à chuva intensa que caiu nos últimos dias. A estação subterrânea ficou completamente alagada.

Em Loures, mais de 20 pessoas ficaram desalojadas e o município está a fazer as contas aos estragos. Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures, sublinha que já há "equipas na rua a fazer uma quantificação dos estragos". Em declarações à TSF, o autarca pediu "uma linha de apoio porque é necessário repor a segurança de um conjunto de infraestruturas".

E em Alcântara, uma das regiões mais afetadas pelas cheias em Lisboa, também é tempo de fazer um balanço e avaliar os estragos.

Os distritos de Castelo Branco, Guarda, Viseu e Vila Real estão este fim de semana sob aviso amarelo devido à previsão de queda de neve. Além disso, todos os distritos de Portugal continental estão em aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes e trovoada, que deverão diminuir de frequência e intensidade a partir desta tarde.

Na conferência de imprensa de antevisão do Portugal-Marrocos, que se realiza no sábado, a contar para os quartos de final do Mundial do Catar, Fernando Santos explicou que conversou com o Cristiano Ronaldo sobre ficar no banco antes de ter anunciado a toda a equipa o onze que ia enfrentar a Suíça. O selecionador nacional reforçou ainda que "nunca em momento nenhum", Ronaldo disse "que queria sair da seleção".

Já João Félix assegurou que não sente obrigação "de passar a bola ao Cristiano", lembrando que cada jogador faz o melhor em campo dentro das suas capacidades.

Na entrevista Em Alta Voz desta semana, Pedro Matos, coordenador de emergência na agência da ONU, afirma que a pandemia e a guerra na Ucrânia fizeram aumentar de forma dramática as necessidades alimentares no planeta.

Por fim, a sondagem da Aximage para a TSF, JN e DN mostra que o encerramento das maternidades é rejeitado por 78% dos inquiridos. Apenas 14% concordam com o fecho das maternidades por falta de médicos.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG