Três feridos graves e dois ligeiros em capotamento de carro dos bombeiros de Loures em Celorico da Beira

Os bombeiros feridos no acidente desta tarde são de Loures.

PorGuilherme de Sousa com Cátia Carmo
© Miguel Pereira da Silva/Lusa

Um carro dos bombeiros de Loures capotou, esta quinta-feira, em Celorico da Beira, durante o combate ao incêndio, e fez três feridos graves e dois ligeiros, informação atualizada por volta das 19h30 pela Proteção Civil na habitual conferência de imprensa para fazer o ponto de situação dos incêndios no país.

"Terá havido um capotamento lateral. Estamos a falar de três feridos graves e dois feridos leves que serão avaliados nas unidades hospitalares. Foi numa zona em circulação, não temos ainda detalhes precisos sobre a circunstância, mas foi em percurso. Naturalmente vamos manter todo o empenho naquele que é o trabalho que tem vindo a ser estabelecido, apesar desta circunstância. Foram para a unidade hospitalar da Guarda e de Viseu", explicou Miguel Cruz, comandante adjunto de operações da Autoridade Nacional de Protecção Civil.

O incêndio que deflagrou no sábado, em Garrocho, no concelho da Covilhã, alastrou esta quinta-feira, durante a manhã, ao concelho de Celorico da Beira (Guarda), sendo a situação mais complicada na freguesia de Carrapichana. Além deste fogo, as chamas na zona da Guarda também preocupam, com uma casa já "tocada pelo incêndio", apesar de não ser de primeira habitação. Esperam que a chegada da noite e a redução das temperaturas e da intensidade do vento ajudem no combate.

"Vamos continuar a trabalhar no sentido de aproveitar todas as oportunidades. Teremos aqui alguma redução da intensidade do vento, haverá um ligeiro abrandamento, bem como redução da temperatura. Esperamos ter oportunidades para poder controlar este incêndio. Os meios aéreos trabalharam hoje em pleno e tivemos no teatro de operações um total de 14 meios aéreos", sublinhou o comandante.

Apesar das críticas, Miguel Cruz afirma que o facto de ainda não haver vítimas civis a lamentar é positivo e "importante".

"Tem havido um esforço conjunto e isso tem contribuído para que a limitação dos danos tenha sido conseguida", acrescentou.

O presidente da Câmara de Celorico da Beira, Carlos Ascensão, explicou que o fogo entrou no concelho através de um reacendimento que ocorreu a meio da manhã.

O incêndio, que lavra desde sábado nos concelhos da Covilhã (distrito de Castelo Branco) e de Manteigas e que na tarde de quarta-feira atingiu também Gouveia e Guarda, passou esta quinta-feira, a meio da manhã, para o concelho de Celorico da Beira.

Notícia atualizada às 19h40

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG