Fogo de Tomar em resolução, incêndio de Abrantes ainda em atividade

O fogo em Abrantes tem algumas zonas que preocupam os bombeiros devido aos acessos difíceis. O comandante Filipe Regueira afirma à TSF que no recorte junto à barragem o combate às chamas faz-se a pé. Há dois feridos a registar, ambos bombeiros.

PorLusa/TSF
© Ivo Pereira/Global Imagens (arquivo)

O incêndio que deflagrou no domingo no concelho de Tomar encontra-se em fase de resolução, enquanto o fogo que passou para o concelho de Abrantes ainda tem "alguns perímetros em atividade", disse fonte da Proteção Civil à Lusa.

À TSF, o comandante Filipe Regueira, do Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, contou que, em Abrantes, há ainda algumas zonas que preocupam os bombeiros, zonas essas onde o combate às chamas se faz a pé. As atenções estão agora mais voltadas para uma área onde o acesso é complicado.

"No recorte junto à barragem não há acesso com viaturas a partir de determinado ponto, de maneira que é aquela parte nos ocupa mais alguma preocupação", afirma, sublinhando que com a ajuda dos meios aéreos durante a manhã "poderá haver condições para conseguirmos que todo o incêndio entre em resolução".

"Temos cerca de 50% do perímetro dessa área ativo e inspira-nos cuidado na medida em que pode lançar projeções para outras áreas que ainda não arderam. Estamos a falar do recorte junto à barragem e dado a inclinação, o combate faz-se apeado", refere.

Ouça as declarações de Filipe Regueira à TSF

Your browser doesn’t support HTML5 audio

O comandante Filipe Regueira revela também que durante a noite houve uma aldeia em risco, mas a situação foi, entretanto, controlada.

"O incêndio esteve esta noite junto à aldeia de Maxial. Felizmente não temos reporte de alguma habitação que tenha sido atingida. Acredito que as pessoas tenham passado por um mau momento, também não deu tempo para qualquer tipo de evacuação porque o incêndio entrou com muita violência e cortou-nos logo acessos para esse trabalho. Confinámos o incêndio e as pessoas nas casas e combatemos o incêndio diretamente para evitar que ele pudesse chegar às casas", acrescenta.

À agência Lusa, o comandante Filipe Regueira, do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, disse que estão "cerca de 400 bombeiros no local que combateram durante a noite o incêndio que se encontra em resolução do lado de Tomar e, do lado de Abrantes com alguns perímetros de atividade".

O alerta para o fogo de Tomar, que deflagrou na freguesia de Olalhas, foi dado às 17h36 de domingo, e "uma projeção" deste fogo fez com que as chamas atingissem também o concelho de Abrantes, cerca de meia hora mais tarde, na freguesia de Fontes.

Segundo Filipe Regueira, é esperado que "durante a manhã se extingam na totalidade" os perímetros que se encontram ainda em atividade no concelho de Abrantes.

"Neste momento a humidade começa a descer, e o vento mantém-se estável, mas ali a questão do vento é muito 'sui generis' porque se trata de uma barragem, do túnel da barragem, que cria ventos locais e específicos", alertou o responsável.

Por este motivo, e "tendo em conta as variações [do vento] no local do incêndio, os operacionais têm de estar a todo o momento com atenção".

Entretanto, fonte do CDOS adiantou que se registaram dois feridos neste incêndio de Abrantes, dois bombeiros, "um por exaustão e outro com queimaduras ligeiras decorrentes da radiação do calor".

Pelas 10h25, este fogo tinha "50% do seu perímetro em resolução", referiu a mesma fonte.

Àquela hora estavam no terreno 478 operacionais, dos quais 401 são bombeiros, apoiados por 154 veículos, seis meios aéreos e cinco máquinas de rasto.

* Notícia atualizada às 10h48

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG