Hospital do Porto tem único tratamento com ultrassons para tremor essencial e Parkinson

Técnica não exige cortes ou sedação e cada sessão de High Intensity Focused Ultrasound leva duas a três horas.

PorGonçalo Teles

 foto Pedro Granadeiro/Global Imagens

 foto Pedro Granadeiro/Global Imagens

 foto Pedro Granadeiro/Global Imagens

 foto Pedro Granadeiro/Global Imagens

O Hospital da Venerável Ordem Terceira de São Francisco, no Porto, comprou por dois milhões de euros uma máquina que permite o tratamento de doentes diagnosticados com tremor essencial ou Parkinson com base em ultrassons e sem recurso a cirurgia, o único do género atualmente, conta ​​​​​o Jornal de Notícias.

A High Intensity Focused Ultrasound (HIFU) permite, sem cortes ou sedação e quando "acoplada a uma ressonância magnética", como explicou ao JN a médica radiologista e coordenadora de unidade Joana Costa, o tratamento não cirúrgico dos sintomas de doentes que já não são capazes "de assinar o próprio nome ou de beber um copo de água".

Apesar de a doença de base não ser alvo de tratamento nesta abordagem, a importância da máquina está no facto de ser o único tratamento" não cirúrgico que existe na atualidade", sendo um método que "não utiliza radiação, uma vez que é baseado em ultrassons".

Para se submeterem ao tratamento, os doentes devem estar em jejum e não precisam de sedação, mas é necessário rapar o cabelo para que os ultrassons possam penetrar o crânio.

Por agora, o tratamento é feito em regime de internamento "meramente preventivo, em que o doente entra na véspera e de manhã é-lhe rapado o cabelo, escusando-se a essa preocupação", garante a médica responsável.

Cada sessão dura "duas a três horas" e, dependendo do caso, "com um único tratamento doente deixa de tremer". A aquisição da máquina que permite o tratamento foi realizada pelo hospital em parceria com o grupo JCC Diagnostic Imaging.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG