Messi sai do Barcelona, Portugal regista óbito de criança por Covid e outros destaques TSF

Jogador pode mudar pela primeira vez de clube, aos 34 anos, e depois de 672 golos, 778 jogos e 34 títulos na equipa principal dos catalães.

PorTSF
© Juanjo Martin/EPA

O argentino Lionel Messi não vai continuar a representar o Barcelona, anunciou esta quinta-feira o clube catalão através de comunicado.

Em Portugal estão confirmadas 17 422 mortes devido à Covid-19, mais dez do que no último boletim epidemiológico. Uma das vítimas mortais é um rapaz com menos de dez anos. Contactada pela TSF, a Direção-Geral da Saúde (DGS) esclareceu que esta criança sofria de patologias de base.

A Moderna confirmou que a vacina contra a Covid-19 produzida pela empresa tem uma eficácia de 93% nos seis meses após a segunda dose.

Em Alcoutim, um concelho do interior algarvio, que, de acordo com o último Censos, perdeu 13,6% da população, há muita gente que vive isolada nos montes. Quando ouvem o Governo dizer que é preciso obter um certificado digital de vacinação, nem sabe como fazê-lo e muitos nem sabem o que isso é.

No âmbito do processo Cartão Vermelho, a TSF confirmou que a caução de Luís Filipe Vieira foi aceite pelo Ministério Público e pelo juiz de Instrução Criminal. Carlos Alexandre tinha determinado uma caução no valor de três milhões de euros.

Durante a madrugada, Pedro Pichardo garantiu mais uma medalha para Portugal nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Desta vez foi a mais valiosa de todas: o ouro, no triplo salto. Apesar de embalado e emocionado pelo momento, Pedro Pablo Pichardo, campeão olímpico no triplo salto, já pensa nos próximos desafios e recordes a bater. De medalha de ouro ao peito, disse à TSF que esta noite não dorme, porque a emoção não permite, e dedica a vitória à família.

O Presidente da República não podia estar mais feliz com a medalha de ouro no triplo salto conquistada por Pedro Pichardo, nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Em declarações à TSF, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que se sente honrado duplamente.

Pouco depois, já à tarde, Marcelo Rebelo de Sousa falou ao país sobre esta conquista e afirmou que é uma "alegria" Portugal ter obtido o "melhor resultado de sempre nos Jogos Olímpicos", defendendo que "Portugal é grande quando consegue a integração efetiva".

Em pleno verão, cerca de 58% do território do Continente acabou o mês de julho em situação de seca meteorológica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG