Portugal destaca-se como exemplo de crescimento exponencial da Covid. A culpa é da BA.5

Até ao momento sabe-se que esta linhagem da variante Ómicron é mais contagiosa, mas nada indica que seja mais grave.

PorDora Pires
© André Luís Alves / Global Imagens

O último relatório do Centro Europeu de Controlo de Doenças (CEDC) aponta Portugal como um exemplo de crescimento exponencial de casos de Covid-19. A razão é o crescimento das linhagens BA.4 e BA.5 da variante Ómicron.

As novas linhagens surgiram na África do Sul no início deste ano e, em Portugal, segundo dados citados pela agência europeia, estima-se que os casos de Covid-19 causados sobretudo pela linhagem BA.5 cresçam a um ritmo diário de 13%.

Se assim for, e a verificar-se este cenário em Portugal, a linhagem BA.5 - que a 8 de maio representava 37% dos casos -, deverá ser predominante no próximo dia 22.

Na passada quinta-feira, Marta Temido referiu-se ao último relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e destacou que o "aumento da predominância" da BA.5, poderá atingir 80% antes do final do mês. Já ao final do dia de sexta, a ministra da Saúde disse que a expectativa do Governo é que Portugal consiga ultrapassar esta fase de maior circulação da Covid-19 sem que sejam agravadas as medidas de proteção da população.

"Temos expectativa de conseguir ultrapassar esta fase sem precisar de agravamento de medidas, apenas com a responsabilidade individual", avisou a ministra da Saúde.

Até ao momento, sabe-se que esta linhagem é mais contagiosa, mas nada indica que seja mais grave. O problema é que, mesmo quando a infeção é pouco severa, um grande aumento de casos acaba por gerar maior número de doentes graves e maior pressão no serviço Nacional de Saúde.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG