Uma t-shirt inteligente que reduz os efeitos da menopausa

Durante dois anos, Filipa Fernandes, formada em Engenharia de Materiais, trabalhou numa tecnologia que incorporada num tecido permite regular a temperatura corporal.

PorRute Fonseca
© DR/ Universidade do Minho

Filipa Fernandes, formada em engenharia de materiais na Universidade do Minho, começa por explicar como funciona esta tecnologia.

"É uma t-shirt que foi desenvolvida com um estampado composto por silicone medicinal e que no interior tem partículas que regulam a temperatura. Essa regulação permite que as senhoras a sofrer os efeitos da menopausa se sintam mais confortáveis e tranquilas. Falamos de sintomas como afrontamentos, retenção de líquidos ou mau humor... muitas vezes os afrontamentos fazem com que não consigam dormir e descansar e esta tecnologia até nisso tem sido essencial".

Ouça aqui a reportagem completa

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Filipa Fernandes explica que esta tecnologia RT pode beneficiar outras patologias, como "Parkinson, pessoas em tratamento de oncologia e que sentem muitos afrontamentos, com esta t-shirt conseguem dormir".

A investigação durou cerca de dois anos e implicou "muitos testes científicos e teste em contexto real. Foram mais de cinco mil t-shirts que entregamos em mãos e pedimos o feedback. Ainda hoje e após a comercialização da t-shirt pedimos a todos os que a usam que nos deem o feedback". Filipa Fernandes explica que esta ideia surgiu através de uma "repto lançado por Manuel Ribeiro, proprietário de uma empresa de confeção e que tinha muitas funcionários a sofrer com este tipo de patologia e ele pediu-me uma solução. Depois de muitos testes, certificações, otimizações chegamos a este produto final".

A tecnologia usada nesta t-shirt pode usada em outras áreas, nomeadamente no desporto. "Quem transpira muito, sente desconforto após a prática desportiva vai sentir muita diferença com a utilização destas t-shirts. Já estamos a realizar testes".

Trata-se de um tecido inteligente com um estampado inteligente, "fizemos testes de lavagem a 60 graus para 50 lavagens e o tecido fica destruído mas o estampado mantém-se intacto", explica a investigadora.

Formada em Engenharia de Materiais pela Universidade do Minho não tem dúvidas de que este é o futuro, "porque é aplicado a todas as áreas, desde a militar à aéreo espacial".

Filipa Martins já está a trabalhar num novo projeto relacionado com fardamento hospitalar e que vai substituir os EPI's.

A t-shirt que reduz os efeitos da menopausa pode ser adquirida online.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG