Antigo presidente do Tribunal da Relação fica três meses sem julgar processos

Decisão foi tomada a pedido do próprio.

O juiz Orlando Nascimento, que na semana passada renunciou ao cargo de presidente do Tribunal da Relação de Lisboa e é alvo de um processo disciplinar, não vai decidir qualquer processo nos próximos três meses.

Fonte judicial adianta à TSF que o pedido foi feito pelo próprio e aceite pela nova presidente do Tribunal da Relação de Lisboa.

Outro juiz desembargador do mesmo tribunal, Rui Gonçalves, também alvo de um processo disciplinar, ficará isento da distribuição de novos processos até 17 de abril.

Recorde-se que Orlando Nascimento abandonou o cargo de presidente do Tribunal da Relação de Lisboa depois de ter vindo a público que autorizou o uso do salão nobre do tribunal para a realização de uma arbitragem (resolução privada de litígios) realizada pelo seu antecessor, Luís Vaz das Neves, que foi indevidamente remunerado por esse julgamento privado, e que é arguido por suspeitas de corrupção e abuso de poder no âmbito da Operação Lex.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de