ANTROP quer mais financiamento do Estado nas empresas de transporte

No último mês foram vendidos 640 mil passes, em Lisboa, o que representa um aumento de 16% face à média de vendas registada até março.

O presidente da Associação Nacional de Transportes de Passageiros (ANTROP), Cabaço Martins, defende que é necessário rever o finaciamento atribuído às empresas de transporte, no âmbito dos contratos de concessão firmados com o Estado, depois de esta segunda-feira terem sido revelados os números de passes vendidos em Lisboa no mês de junho.

No último mês foram vendidos 640 mil passes, o que representa um aumento de 16% face à média de vendas registada até março.

Cabaço Martins considera que estes dados não surpreendem e que " há operadores da Área Metropolitana de Lisboa que estão com muitas dificuldades em dar resposta a este aumento de procura e outros que têm menos dificuldade".

Face a esta tendência, o presidente da ANTROP defende que é necessário rever os contratos de concessão e aumentar o financiamento às empresas de transporte.

"Poderá justificar-se uma situação desse tipo, naturalmente, e justifica-se já neste momento. Quando eu digo que estamos em diálogo com as autoridades de transporte é também incluindo os aspetos de ordem financeira. E há outros aspeto que podem melhorar a circulação dos meios disponíveis e que têm a ver com a própria organização das cidades, com os corredores exclusivos para transporte público, o problema de estacionamento dentro da cidade."

Cabaço Martins defende que é preciso tornar a circulação dos autocarros mais eficaz, através de "medidas que incrementem o uso do transporte público", mas "também de encontrar soluções, designadamente à entrada das grandes cidades e dentro das cidades para que haja uma circulação eficaz dos autocarros de modo a que possamos ter uma rentabilidade cada vez maior dos meios disponíveis".