Edna Almeida
reportagem

As mulheres que comandam 90 homens na GNR de Moncorvo

Esta é a única dupla feminina a comandar um Destacamento Territorial da GNR no país.

A Capitão Edna Almeida tem 29 anos e a adjunta, a Alferes Sandra Pacheco, 24. Estão, desde o início de dezembro (do ano passado 2019) à frente do Destacamento Territorial de Moncorvo que comporta ainda os concelhos de Freixo de Espada à Cinta e Alfândega da Fé. As duas comandam 90 homens.

Foi no 12º ano e com alguns exemplos familiares que a agora Capitão Edna Almeida decidiu o que queria fazer. "Quando terminei o secundário surgiu a Academia Militar como uma opção. Fiz cinco anos e mestrado. Como tenho um pai que é polícia de segurança pública e outros elementos na família, também, acabou por não ser uma coisa estranha, acabou por ser algo familiar".

A capitão e não capitã, (é a designação para este posto da GNR, tanto para homens com para mulheres) Edna Almeida já este noutros comandos na zona de Lisboa, e agora aos 29 anos pediu para vir para perto da terra onde nasceu (Macedo de Cavaleiros). " Inicialmente não foi o meu pensamento mas com o passar do tempo e querer alguma estabilidade pessoal e familiar, decidi vir cá para cima onde tenho toda a minha família":

Edna Almeida está à frente de 90 militares onde apenas 4 são mulheres. A capitão salienta que comandar é orientar pessoas independentemente do género. "Olhamos para os militares enquanto pessoas e não pelo género"

Quando chegaram ao destacamento, há cerca de um mês, a oficial diz que a reação dos homens, no início, foi "um pouco estranho mas no bom sentido porque não é normal ver uma mulher, muito menos duas. Considero que até fomos bem recebidas e o facto da população deu os parabéns e isso é muito positivo".

Edna Almeida diz que nunca teve nenhum problema por onde passou e mesmo sabendo que que a maior parte do efetivo é muito mais velho que ela, diz que "se conseguir ser o exemplo, a peça orientadora, tudo seguirá normalmente".

Ao lado da Capitã está a alferes e adjunta do comando, Sandra Pacheco. Tem 24 anos. Saiu da academia há pouco tempo. Esteve dois meses em Évora e agora a portuense inicia esta tarefa em Trás-os-Montes. "Está a ser uma experiência muito boa, desafiante a cada dia que passa. Isto é tudo novo, é tudo diferente mas estou a gostar", refere.

Diz também que a idade não será nenhum impedimento para o desempenho do seu trabalho. "Falar com pessoas da minha idade torna-se diferente como falar com pessoas mais velhas também é diferente, todas são diferentes".

E em Moncorvo está o único centro hípico da GNR do distrito de Bragança que foi desativado há cerca de 3 anos. A Alferes gostava de reativar ali a escola de cavalaria. "Sim gostava. As intenções do nosso comando vão no sentido de reativar, agora não se prevê é quando isso será".

Sandra e Edna são solteiras mas esperam vir a casar e ter filhos, quando o chamamento maternal acontecer. Para já as duas oficiais estão focadas no trabalho e em realizá-lo na perfeição, ali em Moncorvo à frente de 90 homens.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de