As novas contratações da câmara de Miranda do Douro. Ovelhas ajudam a limpar espaços verdes

A falta de mão-de-obra para a limpeza de espaços verdes obrigou a autarquia a encontrar soluções fora da caixa. Desde segunda-feira, 30 ovelhas da raça churra galega mirandesa são a mais recente mão-de-obra contratada pela autarquia.

A necessidade aguça o engenho. O dito popular permite resumir em poucas palavras uma das mais recentes decisões tomadas pela Câmara Municipal de Miranda do Douro, liderada por Helena Barril. "Já estava farta de ouvir a resposta de que não tínhamos funcionários para limpar os terrenos. Podemos resolver de uma forma em que até possam tirar alguns dividendos em termos turísticos", conta a autarca à TSF. Perante o problema, surge a solução que, se não é inédita, gera sempre curiosidade.

São 30 ovelhas da raça churra galega mirandesa que estão desde a tarde desta segunda-feira a ajudar a limpar um campo de oliveiras, com as muralhas da cidade como fundo. É junto a uma das principais avenidas desta cidade no distrito de Bragança. "Falámos na quinta, e sexta a equipa da câmara andou a vedar o terreno. Hoje durante a tarde recebemos as ovelhas. Foi um momento bonito", recorda a autarca. Junto à principal entrada da cidade, para quem vem do lado de Espanha, as ovelhas são, por estes dias, uma das principais novidades no quotidiano da cidade.

Os animais foram cedidos pela associação de criadores da raça, a Associação de Criadores de Ovinos de Raça Churra Galega Mirandesa, que está sediada numa das aldeias do concelho de Miranda do Douro. As ovelhas desta raça autóctone vão ajudar a limpar o terreno. E não foram escolhidas por acaso. Há o caso do burro mirandês, mas não foi opção. "Temos de preservar as oliveiras e tanto o burro como a cabra causariam dano nas árvores. E não é isso que queremos". As ovelhas são a opção certa, porque não comem todo o tipo de vegetação, como acontece com outros animais.

As ovelhas estão a cumprir com a obrigação e a autarca de Miranda do Douro assegura que estão a ser bem cuidadas. "Temos um tratador que lhes vai levar água e alimento. Estamos a cuidar muito bem". Pela noite, está garantida a passagem da patrulha da GNR, para garantir que não há "surpresas desagradáveis". A missão das cabras da raça churra galega mirandesa ainda agora começou, mas Helena Barril já antevê que o trabalho, apesar de dar uma ajuda, não vai conseguir limpar completamente o espaço verde. "Ainda precisavam de um mês para conseguir cumprir tudo, porque o terreno estava mesmo a precisar". Para já, os animais podem contar com uma jornada de trabalho de duas semanas garantidas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de