Autocarros vão retirar civis de Mariupol, gripe A enche urgências e outros destaques TSF

Em destaque está também o arranque da entrega as declarações do IRS , com os contribuintes a começarem a ser reembolsados logo na primeira quinzena de abril.

Na Ucrânia, esta quinta-feira, foi dada a garantia de que vão ser enviados 45 autocarros de Kiev para retirar civis de Mariupol. A Rússia afirmou-se pronta para abrir o acesso dos corredores humanitários.

A reportagem do fotojornalista André Luís Alves dá conta de que a situação para sair de Mariupol havia agravado nos últimos dias.

Certo é que, por várias vezes, os corredores humanitários estabelecidos não têm sido respeitados, o que se traduz em acrescidas dificuldades para a população cercada e em mais destruição. Em Kharkiv, por exemplo, as tropas russas destruíram 15% das casas, adianta o autarca da cidade, apesar de a Rússia garantir que não ataca alvos civis.

As autoridades ucranianas estão até a acusar as forças russas de lançarem bombas de fósforo, durante o dia, na cidade de Marinka. Trata-se de armas incendiárias cujo uso é proibido contra civis.

Ainda assim, há sinais de avanços nas negociações entre Rússia e Ucrânia. O chefe da diplomacia da Turquia afirmou que os ministros dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, e ucraniano, Dmytro Kuleba, podem vir a encontrar-se "dentro de uma ou duas semanas".

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia declarou mesmo que houve um "avanço positivo" nas negociações com a Ucrânia que tiveram lugar em Istambul, apesar de salvaguardar que não se falou de nenhuma solução definitiva.

Quem não parece convencido é o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, que afirma não acreditar nas "frases bonitas" da Rússia.

No terreno, os ucranianos mantêm-se firmes na resistência à invasão russa. O enviado especial da TSF à Ucrânia, Rui Polónio, conta que, em Odessa, mesmo com as sirenes a tocar, a população não arreda.

Por cá, assiste-se a uma nova corrida às urgências. A gripe A está a surgir em força e com sintomas mais graves do que os da Covid-19. A Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública afasta, para já, a existência de motivo para alarme.

Nos hospitais portugueses, estiveram internados, durante o primeiro ano da pandemia da Covid-19, estiveram internados quase 13 mil doentes em unidades de Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Noutro plano, termina esta quinta-feira o prazo para os contribuintes reclamarem sobre faturas de despesas gerais familiares. Em causa estão as faturas de gastos com roupa, eletrodomésticos, combustível e outros, que permitem uma dedução ao IRS até 250 euros.

Já o processamento dos reembolsos do IRS arranca na primeira quinzena de abril. OS contribuintes podem começar a entregar a declaração do IRS já sexta-feira, dia 1 de abril. Têm até 30 de junho para o fazer.

Para os contribuintes entre os 18 e os 26 anos, a entrega da declaração do IRS vai 'disparar' um aviso a alertar para a possibilidade de acederem ao IRS Jovem e beneficiarem de um desconto no imposto a pagar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de