Azeredo Lopes absolvido no caso Tancos, o aviso de França sobre o Dakar e outros destaques TSF

Entre os destaques desta manhã estão também os dados do desemprego relativos a novembro de 2021 e a cada vez maior violência contra os assistentes técnicos do SNS. Pode ainda ler ou ouvir as entrevistas da TSF a Jaime Marta Soares e a João Tiago Machado.

A manhã desta sexta-feira ficou marcada pela leitura do acórdão relativamente ao caso Tancos. Azeredo Lopes foi absolvido de todos os crimes de que era acusado. O coletivo de juízes vai ao encontro do Ministério Público, que pediu que o ex-ministro da Defesa fosse ilibado, por não ter ficado provado que conhecia a investigação paralela da PJ Militar ao assalto aos paióis de Tancos.

Já o autor confesso do furto de armas, João Paulino, foi condenado a oito anos de prisão pelos crimes de terrorismo e tráfico de estupefacientes. O antigo diretor da Polícia Judiciária Militar Luís Vieira foi condenado a quatro anos de prisão de pena suspensa. Também o antigo porta-voz da Polícia Judiciária Militar Vasco Brazão foi condenado a uma pena de prisão de cinco anos de pena suspensa.

No rali Dakar, que se realiza na Arábia Saudita, França pediu à organização da competição o cancelamento da prova, após suspeitas de terrorismo. Em causa está uma explosão na Arábia Saudita, que atingiu um veículo e feriu gravemente o piloto francês Phillipe Boutron antes da partida da prova, a 30 de dezembro.

Em Portugal, os dados de novembro de 2021, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, mostraram que a taxa de desemprego situou-se em 6,3%, menos 0,1 pontos percentuais do que no mês precedente, igual a três meses antes e menos 0,9 pontos percentuais do que um ano antes.

Destaque também para os assistentes técnicos do SNS que são cada vez mais um dos alvos da violência contra os profissionais de saúde. Em 2020 foram registados 825 episódios de violência contra profissionais da saúde. Os números de 2021 não estão fechados, mas o balanço até outubro do ano passado indica 752 queixas.

Doze anos depois, Jaime Marta Soares entrega a presidência da Liga dos Bombeiros Portugueses a António Nunes. Na véspera de terminar as funções, Jaime Marta Soares defendeu, numa entrevista conduzida por Fernando Alves, na Manhã TSF, que a falta de financiamento dos bombeiros é uma causa que nunca estará perdida. A decisão de não se recandidatar à presidência da instituição foi comunicada durante o verão, numa audiência com o Presidente da República.

Por fim, a três semanas das legislativas, o porta-voz da Comissão Nacional de Eleições, João Tiago Machado, diz entender, em entrevista à TSF e ao DN, que não é preciso alterar leis, uma vez que o direito de voto se sobrepõe ao dever de isolamento. Disse ainda que é mais seguro votar do que ir ao supermercado ou ao Multibanco, e que a experiência das quatro eleições já realizadas em pandemia dá garantias de que não haverá nenhum surto ou aumento do número de casos por causa da ida às urnas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de