Pedem eleições livres e fim do regime. Bielorrussos em Portugal marcam protesto para Lisboa

A manifestação na Praça do Rossio é organizada por uma jornalista bielorrussa que vive em Portugal.

Os resultados das eleições presidenciais na Bielorrússia provocaram uma onde de protestos dentro e fora do país. Para esta quarta-feira está marcada uma manifestação em Lisboa, na Praça do Rossio, às 19h00.

Aleksandre Lukashenko cantou vitória no passado domingo, reclamando 80,23% dos votos, o que lhe concede o sexto mandato à frente dos destinos da Bielorrússia. Os populares, no entanto, contestam os resultados e falam em "falsificação".

A manifestação em Portugal é organizada por uma jornalista bielorrussa que vive em Lisboa. Em declarações à TSF, na segunda-feira, Katerina Droja assume-se como ativista da oposição ao Presidente bielorrusso, e denuncia a situação vivida no país desde a noite das eleições.

Sob o mote "Pelo fim da ditadura na Belarus", a organização adianta que "os bielorrussos querem lutar pelos seus direitos e pela democracia" e "ser um membro respeitado da sociedade europeia".

Os organizadores da manifestação em Portugal caracterizam Alexandre Lukashenko como o "último ditador da Europa", e lembram que antes do arranque da campanha eleitoral, o regime afastou potenciais candidatos "fabricado processos criminais e prisões sumárias".

A iniciativa na Praça do Rossio visa reclamar a contagem precisa dos votos, exigir às autoridades bielorrussas o fim da violência e a libertação de presos políticos, num país livre e democrático.

Os protestos em mais de 30 cidades da Bielorrússia levaram à detenção de milhares de pessoas. A polícia utilizou balas e gás lacrimogéneo para dispersar a multidão, num autêntico clima de guerra no país. Há ainda relatos de que o Governo está a bloquear a internet.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de