Bispo de Setúbal preocupado com integração de imigrantes em Portugal

O responsável da Igreja Católica considera que o tema da imigração merecia mais destaque nestas eleições autárquicas.

O bispo de Setúbal , D. José Ornelas, lamenta que a integração dos imigrantes não seja um tema em destaque nas próximas eleições autárquicas, cuja campanha arranca oficialmente esta terça-feira.

Numa emissão especial conduzida, esta manhã, por Fernando Alves, em direto da Quinta da Princesa, no concelho do Seixal, o bispo de Setúbal não escondeu a preocupação pelo facto de o tema dos imigrantes não merecer maior destaque por parte dos candidatos autárquicos.

"Não vejo que [a imigração] esteja a ser um tema constante [na campanha para as autárquicas], e devia ser. Por exemplo, nesta península de Setúbal, temos tradição de população completamente miscigenada e isso, para mim, é um motivo de satisfação. Não me preocupa nada isso. Preocupa-me, sim, se estas pessoas não encontram aqui caminhos de integração", afirmou.

D. José Ornelas alerta que a inclusão dos imigrantes não pode viver à base do improviso, sob pena de um fracasso nesta matéria.

"Vontade até temos, mas estamos mal organizados em termos de dar possibilidade às pessoas que aqui chegam de considerar isto a sua terra. Isto não pode ser deixado à espontaneidade e à boa vontade das pessoas e de pequenas ou grandes organizações. Tem de ser organizado e planeado", defendeu o bispo de Setúbal. "Os desafios que se enfrentam nesta situação - veja-se, agora, os refugiados do Afeganistão - não podem ser improvisados. Se não, vão estar sempre numa atitude ambígua, de amor/ódio, no lugar onde vivem. Não pode ser, não vai dar resultado", acrescentou.

Ainda esta segunda-feira, o presidente da Conferência das Comissões Episcopais Europeias, o arcebispo luxemburguês Jean-Claude Hollerich, tinha defendido que a Europa deve acolher, como refugiados, "os que são perseguidos" nos seus países.

Embora considere que "a Europa não poderá acolher todos aqueles que querem vir", o arcebispo admitiu que o Ocidente tem "o dever sagrado" de acolher as pessoas que são perseguidas nos seus países, de acordo com declarações citadas pela página do Santuário de Fátima na Internet.

O cardeal Jean-Claude Hollerich esteve em Fátima no passado mês de agosto, tendo presidido à peregrinação de 12 e 13 ao Santuário.

Na ocasião, dirigindo-se aos migrantes e aos refugiados sublinhou o esforço que fazem para ajudar "a construir a riqueza económica e cultural dos países que, por esse mundo fora", os acolhem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de