Bruxelas solidária. "Os nossos pensamentos estão com todos os que foram afetados"

Natacha Bertaud afirma que as autoridades europeias vão acompanhar a evolução dos incêndios em Portugal e que estão preparadas para intervir. O primeiro pedido de ajuda chegou a Bruxelas há dois dias.

A Comissão Europeia "está a acompanhar" a evolução dos incêndios e expressa vontade de ajudar "se for necessário e for solicitado".

A porta-voz da Comissão Europeia, Natasha Bertaud, afirma que as autoridades de Lisboa e Bruxelas estão a avaliar o que pode ser feito, no âmbito da ajuda que a União Europeia pode prestar, na sequência dos incêndios que afetam sobretudo a região de Castelo Branco.

"O comissário Stylianides está em contacto com o ministro português da Administração Interna, Eduardo Cabrita, para reafirmarmos a prontidão da União Europeia, para reforçarmos a nossa assistência, se for necessário e for solicitado", anunciou a porta-voz ao início da tarde, na abertura da habitual conferência de imprensa diária.

Questionado em Bruxelas pela TSF, o porta-voz para a Proteção Civil, Carlos Martin, garantiu que todos os mecanismos europeus de ajuda estão preparados, para o que for necessário, "cabendo às autoridades nacionais, - neste caso, como em qualquer outro -, solicitar a ativação do mecanismo".

"Já configurámos o mecanismo de resgate, além do tradicional funcionamento do mecanismo de Proteção Civil, que tem agora uma nova rede de segurança, constituída pelo resgate", assegurou, acrescentando que há dois dias chegou a Bruxelas o primeiro pedido de ajuda.

"O que as autoridades portuguesas já fizeram, foi pedir alguns mapas de satélite do sistema Copérnico", relatou o porta-voz, detalhando que Bruxelas "já enviou cinco [mapas] e está a trabalhar para enviar mais alguns".

Natacha Bertaud afirma que as autoridades europeias vão acompanhar a evolução dos incêndios em Portugal, em particular "o comissário [para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, Christos Stylianides], que está a acompanhar a situação de perto, depois dos incêndios florestais em Castelo Branco".

"Os nossos pensamentos estão com todos os que foram afetados, e com as equipas de emergência, que estão a trabalhar em condições muito difíceis", disse a porta-voz, expressando a posição oficial da Comissão Europeia, na sequência dos incêndios que afetam a região interior-centro do país.

ACOMPANHE AO MINUTO

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de