Câmara de Portalegre dá mais casas a médicos que queiram trabalhar no concelho

Presidente da Câmara de Portalegre lamenta a falta de médicos especialistas.

A Câmara de Portalegre vai atribuir mais uma casa aos médicos que queiram trabalhar no concelho. Há quatro anos, o município decidiu emprestar casas, sobretudo aos médicos mais jovens, procurando assim atrair clínicos para um concelho cada vez mais envelhecido. Fermelinda Carvalho, a presidente da Câmara de Portalegre, revelou que a medida foi aprovada esta semana pela autarquia.

"Já tínhamos duas casas disponíveis, que são propriedade do município, estão localizadas no centro histórico, devidamente mobiladas e colocadas à disposição da nossa unidade local de saúde, o Hospital Dr. José Maria Grande. Agora disponibilizámos mais uma habitação, já são três casas disponíveis para todos os médicos que queiram vir trabalhar para Portalegre e não tenham cá casa. Isto tudo porque fixar médicos no interior é muito difícil e o município quer dar também uma ajuda ao Ministério da Saúde", explicou à TSF Fermelinda Carvalho.

A autarca lamenta a falta de médicos especialistas em Portalegre.

"No caso de oftalmologia, à mais pequena coisa os doentes têm de ser deslocados para Évora ou para Lisboa, mas há outras especialidades. Também há a obstetrícia, em que as grávidas por vezes têm de ser encaminhadas para Évora. Não pode ser. Infelizmente há poucos médicos cujo sonho é fixarem-se aqui em Portalegre, que é dos poucos distritos que não tem autoestrada que traga as pessoas, nomeadamente de Lisboa", acrescentou a presidente da Câmara de Portalegre.

Os médicos podem ficar nas casas emprestadas pela Câmara de Portalegre durante três anos, mas poucos são os que acabam por ficar durante esse período de tempo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de