Câmara do Porto prolonga testagem gratuita até ao fim de janeiro e adia concerto dos GNR

A Câmara Municipal do Porto decidiu alargar o período de testagem gratuita até ao final do mês de janeiro. Está prevista a realização de cem mil testes. Atualmente a autarquia tem 18 centros de testagem. Devido ao agravamento da pandemia, o concerto da banda GNR foi também adiado, ainda sem data certa para acontecer.

A Câmara Municipal do Porto decidiu alargar o período de testagem gratuita até ao final de janeiro, devido ao recrudescimento da pandemia e ao aumento de casos diários de Covid-19. Por este motivo, a autarquia decidiu ainda adiar o concerto dos GNR marcado para o dia 30 de dezembro, quinta-feira.

Catarina Araújo, vereadora responsável pelo pelouro da Educação, Juventude e Desporto, explica à TSF que a decisão foi tomada com base no número de testes realizados, que estão já muito próximos do limite definido pela autarquia. "Neste momento, já foram realizados 78 mil testes, e, tal como desde o início foi anunciado, iremos reavaliar a necessidade de prolongar ou não esta medida. Considerando o número de testes realizados e o número de casos diários conhecidos, entendemos que devemos renovar e prolongar esta medida durante o mês de janeiro."

A vereadora esclarece que o objetivo da Câmara é renovar a medida no sentido de realizar cem mil testes, num valor máximo de um milhão de euros.

A Câmara Municipal de Lisboa também vai prolongar a testagem gratuita. Contactada pela TSF, fonte da autarquia diz que sempre esteve previsto manter esta medida enquanto se mantiver a situação pandémica. O município liderado por Carlos Moedas quer reforçar a capacidade de testagem e está à procura de novos laboratórios que disponibilizem este serviço.

Perante a tendência de crescimento do número de infeções diárias, a Câmara Municipal do Porto também decidiu adiar o concerto dos GNR, marcado para o dia 30 de dezembro no Super Bock Arena. "Considerando o número de casos diários conhecidos, e sabendo nós que o número não vai diminuir, bem pelo contrário, pareceu-nos que o que fazia sentido era adiar o concerto que estava previsto", justifica Catarina Araújo.

"Falámos com os artistas, que, de forma imediata, perceberam e concordaram com este adiamento", salienta a vereadora, garantindo que a Câmara Municipal do Porto está já a trabalhar para encontrar uma data concertada entre as duas partes.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de