Canal da Universidade de Coimbra recebe duas denúncias de casos de discriminação

Três meses depois de ter sido criado, o canal de denúncias da Universidade de Coimbra recebeu 17 queixas. Das duas queixas classificadas como discriminação e preconceito, uma está em avaliação. A outra não teve seguimento.

A plataforma para denúncias da Universidade de Coimbra (UC) soma 17 casos desde a sua criação em junho. Nos últimos três meses registaram-se duas situações que os denunciantes caracterizaram como discriminação e preconceito, sendo que uma delas está "fase de averiguação interna". "Não podemos ainda atestar, de facto, que a classificação efetuada pelo denunciante corresponde", explica Ana Coimbra, chefe de divisão do Gabinete de Auditoria e Prevenção de Riscos de Gestão da UC.

Em relação à outra queixa, Ana Coimbra esclarece que o processo "não pode evoluir", uma vez que a "denúncia foi feita de forma anónima e não continha elementos suficientes, factos e detalhes" para que fosse feita "uma avaliação e averiguação da situação".

A plataforma pode ser usada para denunciar possíveis casos de abuso de poder, assédio moral e sexual, corrupção, discriminação ou fraude. Ana Coimbra constata que "uma grande parte" das denúncias feitas refere-se a "situações relacionadas com os serviços e as atividades que são prestadas" na instituição.

"Achamos normal que nesta fase inicial exista alguma adaptação por parte dos próprios utilizadores e utilizem este canal quando eventualmente poderiam utilizar outro para fazer algum tipo de reporte de situações."

Ana Coimbra assegura que todas as situações comunicadas "são tratadas" e "respondidas na plataforma".

As denúncias podem ser feitas de forma anónima ou com garantia de confidencialidade por trabalhadores da instituição, estudantes ou pessoas da comunidade. "É um canal de denúncia que permite a submissão de uma denúncia por parte de qualquer pessoa que não tenha qualquer tipo de vínculo com a UC", esclarece Ana Coimbra.

A dirigente apela a que na hora da denúncia sejam fornecidas as informações de forma detalhada, para permitir que "fazer uma averiguação em conformidade". "Se tivermos uma denúncia muito genérica, sem detalhes, sem apresentação de datas, factos concretos, de informação de pessoas envolvidas, não conseguimos fazer um apuramento."

Através da plataforma é possível ainda acompanhar o seguimento que é dado a cada caso, através de um código que é facultado aquando da submissão da denúncia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de