Canil ilegal em Paredes recebeu "visitas técnicas" das autoridades desde 2014

Em 2014, uma vistoria tinha identificado cerca de meia centena de animais que foram encaminhados para uma associação.

A casa que funcionou como canil ilegal em Gandra, no concelho de Paredes, recebeu três visitas técnicas entre 2014 e junho, tendo sido encontrados "vários cães" em duas delas, revelou esta terça-feira fonte da autarquia local.

Segundo aquela autarquia do distrito do Porto, a última "visita técnica" realizou-se em junho, com a participação da veterinária municipal e de militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, e não foram encontrados animais.

Fonte camarária disse à Lusa que na casa reside uma mulher de 84 anos, que será a mãe da alegada proprietária de um canil em Santo Tirso que foi consumido por um incêndio, no fim de semana, que provocou a morte a 73 animais.

Já esta terça-feira foi realizada nova deslocação ao local, cujos resultados não foram ainda revelados pelas autoridades, algumas horas depois de populares, na segunda-feira à noite, terem rodeado a habitação com o objetivo de retirar animais que alegadamente estariam na habitação.

Várias dezenas de pessoas concentraram-se também, na segunda-feira, junto a uma casa abandonada em Sobrado, concelho de Valongo, com o objetivo de resgatar animais que diziam estar abandonados e em más condições sanitárias.

Na situação de Paredes, uma visita técnica em 2014, segundo a autarquia local, tinha encontrado cerca de meia centena de animais que foram encaminhados para uma associação.

Já em 2019, a veterinária municipal e o SEPNA estiveram no local e encontraram "alguns animais", acrescenta o município.

A idosa que vive sozinha na casa está sinalizada desde 2017 pela Segurança Social e, de acordo com a câmara, tem-se recusado e deixar a habitação.

Uma associação local tem prestado "alguma assistência", nomeadamente alimentar, à mulher, acrescenta a autarquia.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de