Caos em Cabul, incêndio de Castro Marim passa para Tavira e outros destaques TSF

Do Afeganistão chega também o testemunho de um português que revela que, durante o processo de regresso a casa, se sentiu "abandonado" pela autoridades de Portugal.

Entre os assuntos que marcaram esta segunda-feira está o caos no aeroporto de Cabul, no Afeganistão. Pelo menos sete pessoas morreram quando tentavam fugir dos taliban, incluindo várias que alegadamente caíram de um avião em voo. Os soldados norte-americanos mataram dois homens armados no aeroporto de Cabul, depois de um chefe militar do Pentágono ter exigido aos taliban que não atacassem o local para onde milhares de pessoas se deslocaram em massa para tentar fugir do país. Todos os voos militares e comerciais foram suspensos.

Ainda do Afeganistão chegou o testemunho de um português que conseguiu sair do país há cerca de duas semanas. Bruno Neto trabalha em ajuda humanitária há algum tempo e está bem habituado a ter de sair de territórios difíceis em pouco tempo, mas revelou à TSF que, duranto o processo de regresso a casa, sentiu-se sempre "abandonado" pelas autoridades de Portugal.

Em Castro Marim, os incêndios não dão tréguas e o fogo que lavra na zona de Odeleite já passou para o concelho vizinho de Tavira e obrigou a retirar mais pessoas de casa, por prevenção. Tendo em conta o risco de incêndio, catorze distritos do continente vão continuar em situação de alerta até ao fim do dia de quarta-feira. A decisão abrange os distritos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

Sobre a pandemia, Portugal é agora o quinto país da União Europeia com mais novos casos de Covid-19, com uma média diária de 229 por milhão de habitantes nos últimos sete dias. Esta segunda-feira, Portugal registou mais 11 mortes e 1135 novos casos de infeção. O Rt nacional subiu ligeiramente para 0,96 e a incidência desceu para 314,5 casos por cem mil habitantes.

António Lacerda Sales comentou a situação vivida no sábado à noite, em Odivelas, em que foram dirigidos insultos ao coordenador da task force, Gouveia e Melo. Para o governante, a única forma de responder aos negacionistas é com a ciência. "A melhor resposta que eu posso dar aos movimentos negacionistas é com a ciência. É com a ciência e com tudo aquilo que é evidência científica disponível neste momento."

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde enalteceu os jovens que se vacinaram durante o último fim de semana e destacou que mostraram saber estar à altura do desafio que a pandemia representa. Nos últimos dois dias, vacinaram-se mais de 160 mil pessoas. O governante considerou que é um resultado extraordinário, do qual há uma lição a tirar. Por outro lado, a task force adiantou que o autoagendamento da vacinação contra a Covid-19 para menores entre os 12 e os 17 anos vai reabrir entre esta quinta-feira e sábado, decorrendo em exclusivo durante este período.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de