Cascais pede a gestão do circuito."O autódromo do Estoril não faz parte da estratégia do Governo"

Carlos Carreiras garante que a autarquia de Cascais tem todas capacidades de rentabilizar o espaço do circuito do Estoril. Dúvida da estratégia do Governo para a gestão do espaço.

O presidente da Câmara Municipal de Cascais considera válida a opção de receber a Fórmula 1 no Algarve, mas lamenta a falta de interesse manifestado pelo Governo no autódromo do Estoril. Carlos Carreiras defende por isso que o autódromo deve passar para as mãos da autarquia.

"Não me oponho. É relevante para Portugal atrair a Fórmula 1", considera o autarca sobre o anuncio do regresso da Fórmula 1 a Portugal em Portimão. "A minha perplexidade é que esta é uma demonstração por parte do Governo de que não tem interesse no autódromo do Estoril", aponta Carlos Carreiras.

O autarca fala em falta de investimento, e dá como exemplo a falta de condições do espaço para, caso fosse possibilidade, acolher o regresso da Fórmula 1 a Cascais. "Seria necessário realizar obras no autódromo do Estoril para receber provas da Fórmula 1. Essas obras não coincidiam com o timing em que era possível o regresso da Formula 1 a Portugal.

Carlos Carreiras desafia a tutela a libertar a gestão do equipamento para a autarquia local. "O Governo deve assumir que o autódromo do Estoril deixa de fazer sentido na estratégia do Governo e nesse sentido fazer a cedência à Câmara Municipal de Cascais".

"Temos uma situação única a nível europeu porque estamos perto de uma capital europeia e, temos infraestruturas próximas como um aeroporto, aeródromo, marina, oferta hoteleira de primeira qualidade", lembra Carlos Carreiras, que garante que Cascais tem todas as possibilidades de rentabilizar o espaço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de