Caso BPP. PJ faz oito buscas em Lisboa, Aveiro e Porto

Cinco das oito buscas feitas no âmbito da operação D'Arte Asas III ​​são domiciliárias e uma outra, esclarece a PJ, é a um escritório de advogados.

A Polícia Judiciária (PJ) desencadeou, esta terça-feira, oito buscas nas zonas de Lisboa, Aveiro e Porto, no âmbito da operação D'Arte Asas III. Das oito diligências, cinco são domiciliárias, duas não domiciliárias e uma última a um escritório de advogados. Num comunicado enviado à TSF, a PJ informou que as buscas estão relacionadas com a suspeita da "prática dos crimes de branqueamento e de descaminho, relacionados com fundos que se suspeita terem sido retirados do Banco Privado Português, assim como com as obras de arte apreendidas a João Rendeiro no âmbito de processo no qual se encontra condenado".

A operação está a ser dirigida por "dois magistrados do Ministério Público conjuntamente com a Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção", como confirma o comunicado.

Estas diligências foram ordenadas na sequência das buscas realizadas no dia de novembro de 2021 com vista à "recolha de prova complementar, assim como à recuperação de produto do crime".

A PJ esclarece ainda que o inquérito "está sujeito a segredo de justiça".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de