"Celebrem o que têm a celebrar, mas façam um esforço para ajudar"

Marcelo Rebelo de Sousa pede aos portugueses que não piorem os indicadores da pandemia, "de tal maneira que se tenha de fechar concelhos".

Marcelo Rebelo de Sousa pediu, esta quarta-feira, para que os portugueses "celebrem o que têm a celebrar, mas façam um esforço para ajudar", sublinhando o andamento do processo de vacinação. "Estamos a vacinar a galope", afirmou.

Em declarações aos jornalistas na Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez, o Presidente da República referiu que "o fim da pandemia está agora mais perto", mas alertou que "ainda não se chegou lá". "Falta o fim e às vezes o fim é o mais difícil de tudo", disse.

Marcelo reconheceu também que "é compreensível que as pessoas estejam fartas, que queiram desconfinar e celebrar aquilo que não celebraram durante mais de um ano com a família e amigos".

"Vamos fazer um esforço para os indicadores não piorarem de tal maneira que se tenha de fechar concelhos", afirmou, admitindo que "seja difícil disciplinar milhares de pessoas que querem desconfinar de forma mais exuberante".

"Façam um esforço no fim de maio e durante junho. Porque julho e agosto estão bem encaminhados", rematou.

"Enfermeiros foram os heróis da pandemia"

Esta quarta-feira celebra-se o Dia do Enfermeiro e o Presidente da República relembrou a importância destes profissionais de saúde em tempos de pandemia.

"Hoje é o dia do enfermeiro. Os enfermeiros foram, da linha da frente, os heróis que enfrentaram a pandemia. Não foram os únicos, mas foram decisivos. Estiveram por toda a parte", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, acrescentando que "merecem não só uma palavra de agradecimento, mas condições melhores para serem enfermeiros. Isto aplica-se também aos outros profissionais de saúde".

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de