Centro de Acolhimento para sem-abrigo no Porto começa a funcionar terça-feira

Vai estar instalado no Hospital Joaquim Urbano.

Estão reservadas dez camas no Centro Hospitalar Conde Ferreira para responder a eventuais situações de quarentena destinadas a pessoas sem habitação regular. Um trabalho que resulta de uma parceria entre a Misericórdia do Porto, a Câmara Municipal, a Segurança Social e a Autoridade de Saúde.

Em matéria de alojamento, a autarquia criou um Centro de Acolhimento de Emergência Covid-19 no antigo Hospital Joaquim Urbano, com capacidade para 40 pessoas, que tem todos os serviços idênticos aos do Centro de Acolhimento Temporário que já aqui funciona.

Ainda no âmbito das medidas de apoio aos sem-abrigo, é garantido o fornecimento de refeições nos restaurantes solidários que passam a estar concentrados no Centro de Acolhimento Temporário Joaquim Urbano, mas agora vão funcionar em modelo takeaway por segurança e devido à diminuição do número de voluntários.

A autarquia avança que beneficiam deste serviço 280 pessoas. Foi ainda reforçada a resposta das cantinas sociais e da rede de voluntariado que diariamente percorre a cidade do Porto.

Ainda na área social, a Câmara Municipal do Porto expressa "grande preocupação" relativamente aos cuidadores. Há várias IPSS"s que podem vir a ter escassez de recursos. A autarquia vai propor ao Conselho Diretivo da Segurança Social que o Governo crie uma orientação que permita mobilizar recursos da educação, assistentes de operações ou assistentes técnicos para apoiar as respostas sociais que entrem em rutura.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de