Centros de saúde do Norte estão a oferecer vacina da gripe a grupos não prioritários

A informação foi avançada pelo Jornal O Minho e confirmada pela TSF.

Com vacinas da gripe ainda disponíveis e com receio de que não sejam usadas, os centros de saúde e as Unidades de Saúde Familiar da Administração Regional de Saúde do Norte estão a oferecer a vacina a todos os utentes, mesmo aos que não pertencem a qualquer grupo prioritário. A informação foi avançada pelo Jornal O Minho e confirmada pela TSF.

Em causa estará a entrega tardia de cerca de 112 mil doses, que só chegaram em dezembro, um mês depois do previsto.

A TSF já pediu esclarecimentos à ARS Norte, à Direção Geral de Saúde e ao gabinete da ministra Marta Temido.

Jorge Roque da Cunha, presidente do Sindicato Independente dos Médicos, confirma esta informação e não entende como se pode "vacinar por vacinar" quando há grupos de risco ainda à espera.

"Essas vacinas têm de ser obrigatoriamente reencaminhadas para a situação dos doentes de maior risco. Não faz qualquer sentido fazer com que essas vacinas sejam ministradas indiscriminadamente. Apesar de também ter tido confirmação desta situação, em termos sindicais, eu não quero acreditar que isso seja verdade", sustenta.

Por isso, o apelo de Roque da Cunha "é que o senhor presidente da Administração Regional de Saúde do Norte pare com esse sistema e que faça chegar aos seus colegas e à população portuguesa que no plano de vacinação deveria ter acesso por serem doentes de risco esse tipo de vacinas" e acrescenta que "não faz sentido vacinar por vacinar".

Para Roque da Cunha esta "é mais uma grande trapalhada em relação ao plano de vacinação da gripe".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de