Centros de saúde vão detetar e ajudar pré-obesos

Objetivo do projeto-piloto é agir a tempo e evitar que se chegue à obesidade. DGS avisa que má alimentação é o fator que "mais rouba anos de vida saudável aos portugueses".

A Direção-Geral de Saúde (DGS) vai promover, até ao final de 2019, nos centros de saúde, um projeto-piloto de deteção de portugueses com pré-obesidade.

A medida é uma das previstas no novo plano de ação do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável da DGS, a apresentar esta segunda-feira num evento no Porto, que sublinha que o excesso de peso e obesidade são "um dos mais sérios problemas de saúde pública em Portugal", sendo necessária "uma abordagem integrada de intervenção assente nos cuidados de saúde primários".

A diretora do programa, Maria João Gregório, explica à TSF que a intervenção nestes casos deve começar logo na pré-obesidade travando, à partida, que a situação evolua para obesidade.

O projeto-piloto começará por ser implementado em pelo menos dois agrupamentos de centros de saúde até ao final de 2019.

A DGS admite que os centros de saúde e outras unidades de cuidados de saúde primários do serviço público ainda têm muita dificuldade em detetar utentes com pré-obesidade e obesidade, pelo que os números aí registados são "muito distantes do número real".

Maria João Gregório explica que a meta é que todas as pessoas que se dirigem aos cuidados de saúde primários sejam "avaliadas nas suas medidas antropométricas para fazer um diagnóstico e uma intervenção precoce que evite situações mais graves em que a intervenção é mais difícil".

O objetivo será tentar mudar estilos de vida através de um plano com determinado número de consultas em determinado tempo e uma série de recomendações para reduzir o peso.

A DGS afirma que os hábitos alimentares errados e outros fatores de risco associados à alimentação continuam a ser o "principal determinante que mais rouba anos de vida saudável aos portugueses".

Alimentação nas creches e universidades

Outra das medidas previstas no novo plano de ação do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável da DGS para 2019 e 2020 passa por criar recomendações específicas para a oferta alimentar nas creches, pensando naquilo que as crianças comem nos primeiros 1000 dias de vida, um período considerado fundamental para o desenvolvimento.

Por outro lado, vai-se ainda tentar mudar a oferta alimentar em instituições do ensino superior, no seguimento de um estudo que revela a má qualidade dos alimentos vendidos nas máquinas de venda automática que existem nas universidades.

As universidades e politécnicos que aderirem a uma estratégia de promoção de uma alimentação saudável receberão um selo com o reconhecimento do trabalho feito pela DGS.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados