Chumbo do Orçamento obriga a adiamento da greve dos farmacêuticos

O presidente do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos diz que não existem condições para avançar com as negociações neste momento.

Os farmacêuticos do Serviço Nacional de Saúde decidiram adiar a greve de seis dias que tinha início marcado para esta quinta-feira.

Henrique Reguengo, presidente do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos, diz que, com o chumbo do Orçamento de Estado e a previsível dissolução da Assembleia da República, não existem condições para avançar com as negociações neste momento.

"Uma greve é um mecanismo que só é usado em última análise e que sacrifica os profissionais e os utentes do Serviço Nacional de Saúde. Só faz sentido ser usada se tiver efeitos práticos. Como isso me pareceu impossível nestas circunstâncias, optámos por adiar a greve", sustenta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de