Cinco camiões a postos. Reconstrução de dique no Mondego pronta para avançar

Obras dependem da desobstrução das estradas que acompanham o leito do rio.

A reconstrução do dique do leito central do Rio Mondego está pronta para avançar. A informação foi confirmada à TSF por fonte do ministério do Ambiente, que adianta que há cinco camiões carregados e prontos a iniciar os trabalhos de reconstrução, bastando para isso que fique desobstruída uma estrada de acesso.

Essa desobstrução pode acontecer ainda esta quinta-feira - está a ser removida lenha do local -, depois do dique no leito central ter ficado destruído com a passagem da depressão Elsa. Os camiões são de uma empresa privada, contratada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), para assegurar a obra de urgência, explicou fonte do ministério à Lusa.

Os efeitos do mau tempo da semana passada, na sequência das depressões Elsa e Fabien, provocaram três mortos e deixaram 144 pessoas desalojadas, registando-se mais de 11.600 ocorrências, na maioria inundações e quedas de árvores.

O mau tempo levou também a condicionamentos na circulação rodoviária e ferroviária, danos na rede elétrica e a subida dos caudais de vários rios, provocando inundações em zonas ribeirinhas das regiões Norte e Centro, em particular no distrito de Coimbra.

No rio Mondego, a rutura de dois diques provocou cheias em Montemor-o-Velho, onde várias zonas foram evacuadas e uma grande área, incluindo muitas plantações, estradas e o Centro de Alto Rendimento, ficou submersa.

A situação começou a ter na segunda-feira os primeiros sinais positivos de melhoria e diminuição do grau de risco, segundo a Proteção Civil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de