Cinema na Serra da Estrela: à procura do som da "pátria sem bandeira"
Cinema

Cinema na Serra da Estrela: à procura do som da "pátria sem bandeira"

Um cartógrafo sonoro mapeia os sons mais únicos da Serra maiúscula. "À procura da Estrela" é a primeira longa-metragem de Carlos Martínez-Peñalver, um realizador galego que já trabalhou, entre outros, com o premiado cineasta Oliver Laxe. A TSF acompanhou a rodagem das primeiras cenas desta coprodução ibérica que estreia em 2022. Claquete. Acção!

Há cerca de dois anos, um grupo de amigos galegos viajou até às montanhas onde nascem o Mondego, o Zêzere e o Beijames. Chegavam atraídos pelo chamamento do gigante granítico e pela memória da lenda do pastor e da estrela, que nomeia a Serra que foi, entre outros, de Viriato, Hermenegildo Capelo e Sousa Martins, Afonso Costa, Vergílio Ferreira, Ferreira de Castro ou João Isabel, e que ainda é sempre dos seus pastores de alforge ao ombro e de José Maria Serra Saraiva (Serra, nome materno), o montanheiro e histórico activista ambiental que preside à Associação Cultural "Amigos da Serra da Estrela". De Zé Maria se fizeram instantaneamente amigos Carlos e Xoel, o realizador e o futuro actor principal de "À procura da Estrela".

Quem não esperava - tantos anos e vários ofícios depois - vir a vestir a pele de actor era o próprio Zé Maria, fazendo ficção daquilo que lhe é real. Mas como tudo o que se passa na Serra, passa pelo Zé Maria (já havia sido ele a encontrar para Manoel de Oliveira alguns "décors"...), o antigo vigilante da natureza e técnico do Parque Natural - hoje reformado e proprietário de um pequeno parque de campismo próximo de Verdelhos - depressa se viciou, nos últimos dois meses, em mais esta missão de amor à sua Serra que ele faz de todos; porque não há nada que aconteça no meio daqueles vales glaciares que não convoque o espanto, o espírito crítico e a entrega incondicional do experiente activista nascido em Manteigas, poucos anos depois de Ferreira de Castro ter escrito "A Lã e a Neve" por algumas das mais altas linhas onde também se rodou agora esta história.

Tal como Zé Maria, todos os outros actores deste filme (o próprio Xoel incluído, um filólogo galego apaixonado pela cartografia sonora) são amadores, entre pastores e outros residentes das paisagens mais altas de Portugal continental. Amadores, aqueles que amam: "foi a pedra filosofal do projecto", filmar com as gentes da Serra, com as pessoas que são o próprio cenário, "uma pátria sem bandeira", como haveria de resumir Carlos Martínez-Peñalver. A bússola e realizador deste filme lança-se, na sua primeira longa-metragem, "À procura da Estrela", depois de vários trabalhos mais curtos em nome próprio ou de algumas colaborações com outros cineastas, incluindo o premiado e seu conterrâneo de origens galegas Oliver Laxe. Peñalver e a sua equipa galega-catalã-portuguesa estão agora na fase de edição e o filme, co-financiado pelo Governo Regional da Galiza, tem estreia prevista para 2022.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de