Desconfinamento pode fazer aparecer mais casos de Covid-19 em crianças

Jorge Amil Dias alerta no entanto para a necessidade de permitir a socialização entre os mais jovens. Há que monitorizar o número de casos graves da doença e encontrar um ponto de equilíbrio entre o risco e o desconfinamento necessário, garante.

O presidente do Colégio de Especialidade de Pediatria da Ordem dos Médicos admite que os contágios entre as crianças vão aumentar, à medida que forem aplicadas mais medidas de desconfinamento. No entanto, Jorge Amil Dias considera que mais importante do que o número de infetados, a preocupação deve estar na mortalidade e nos doentes graves e fala dos riscos da ausência de socialização para os mais jovens.

"A probabilidade de aparecerem novos doentes à medida que vamos implementando medidas desconfinamento e socialização, esse risco existe (....) É Importante perceber se este aumento do número de novos casos corresponde a mais doentes graves ou maior mortalidade", aponta Jorge Amil Dias.

O desconfinamento pode fazer aumentar as crianças doentes com Covid-19, mas o presidente do colégio de pediatria da Ordem dos Médicos sublinha que não se pode fechar as crianças em casa.

"Não podemos fechar-nos todos em caixinhas ou no frigorífico durante um tempo até que o vírus vá embora sozinho. Portanto, temos de conviver com novos contágios. Não adianta reduzir o risco das crianças a zero e ter crianças que não socializaram, que não realizaram atividades que não estimularam a sua criatividade, o seu raciocínio", defende.

"Temos de ter sempre um ponto de equilíbrio que seja aceitável entre o risco que queremos correr", sublinha o responsável da Ordem dos Médicos.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de